Portuguese Chinese (Simplified) English French German Italian Japanese Russian Spanish

Comitê Internacional aponta progressos em áreas de atuação do CeMEAI

Comitê Internacional aponta progressos em áreas de atuação do CeMEAI

Qualidade e quantidade de colaborações industriais e publicações científicas são destaques 

 

 

O Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI) recebeu nos dias 7 e 8 de novembro, em São Carlos, os professores Willian Meeker (Iowa State University), Wil Schilders (Eindhoven University of Technology) e João Fernando Gomes de Oliveira (Escola de Engenharia de São Carlos), membros do International Advisory Committee (lAC), responsável por acompanhar as atividades do Centro e apontar caminhos de desenvolvimento, por intermédio de um relatório que já foi concluído. Este acompanhamento ocorre a cada dois anos com a participação da diretoria e pesquisadores principais apresentando os resultados das pesquisas as ações e os projetos em andamento.

Segundo a análise dos especialistas neste relatório, o IAC apresentou um progresso impressionante desde a reunião de 2017, na qualidade e quantidade de colaborações industriais e publicações científicas.

Na  recente edição, a primeira parte dos trabalhos foi apresentada pelos coordenadores de cada área de atuação. Francisco Louzada Neto, falou sobre Transferência de Tecnologia e recebeu o seguinte retorno do comitê. “Uma visão geral impressionante das atividades de Transferência de Tecnologia foi apresentada no tocante às iniciativas e processos em desenvolvimento pelo CeMEAI. O número de empresas aumentou significativamente, resultando em considerável aumento de acordos industriais, projetos, financiamento e spin-offs”.

Foram apresentadas e bem avaliadas ainda as áreas de Educação e Difusão que tem como coordenador Lucio Tunes dos Santos, Mecânica dos Fluidos Computacional que teve apresentação de João Filgueiras de Azevedo, atual presidente do CNPq. “A área principal de CFD mantém seu alto nível de excelência no trabalho em aeronáutica e aeroespacial, e agora, com o novo projeto com a Petrobras. A interação com a sociedade parece aumentar e também com as outras áreas do CeMEAI, como aprendizado de máquina”, comentaram os membros do IAC.

Eles também analisaram as áreas de Otimização e Pesquisa Operacional apresentada por José Mario Martinez, Ciência de Dados, por Rodrigo Fernandes de Mello e Análise de Risco que foi explicada por Louzada.

Fabrício Simeoni de Sousa falou sobre as ações relacionadas ao Cluster Euler.  “A administração do cluster é uma referência para o Brasil. Eles estão monitorando constantemente a arquitetura do sistema para atender melhor os usuários. O uso da máquina é impressionante, com cerca de 200 usuários externos”, apontou o relatório.

No segundo período, parceiros do CeMEAI participaram da reunião falando sobre os projetos realizados de forma conjunta. Foi o caso de Edgar Zanotto que mostrou a participação da matemática do CeMEAI nas pesquisas do Centro de Pesquisa, Educação e Inovação em Vidros (CERTEV) e falou sobre o projeto EduSCar com escolas públicas de São Carlos. O Secretário Municipal de Desenvolvimento Sustentável, Ciência e Tecnologia de São Carlos, José Galizia Tundisi, falou das ações junto à Prefeitura Municipal. André Pierre Mattei e Márcio da Silva Arantes, pesquisadores do Senai Florianópolis, comentaram as parcerias com a Unidade Embrapii do SENAI/SC.

“Nós notamos melhorias drásticas em duas direções. Uma é que parece haver muito mais colaborações diretas, com projetos, ajudando a empresa e a sociedade com novas ferramentas e métodos matemáticos. A outra é que, enquanto desenvolvem esses projetos, eles fazem pesquisa em matemática e estatística, gerando novo conhecimento também. Os resultados têm sido divulgados como publicações e, assim, esse novo conhecimento fica disponível para que outras pessoas possam utilizá-lo também. Fiquei bem impressionado com isso”, comentou Willian Meeker.

O segundo dia de atividades foi dedicado às apresentações de grandes projetos e pesquisas de destaque. Tiago Pereira falou sobre os resultados no país e exterior de seu trabalho denominado Reconstruction of Complex Networks. Fabrício Sousa demonstrou o convênio com o Petrobras de métodos para simulação de reservatórios de petróleo. Francisco Louzada falou sobre os avanços de projetos na área de estatística e medicina. Alexandre Delbem expôs as descobertas na pesquisa que busca auxiliar no tratamento do zumbido de ouvido. E Luis Gustavo Nonato contou sobre o trabalho desenvolvido em parceria com o CEPID Centro para o Estudo da Violência que usa Ciência de Dados para auxiliar agentes de segurança e população.

“O sucesso do CeMEAI nesses projetos maiores está muito ligado à capacidade de se integrar com outras áreas e problemas das empresas que não só a matemática em si e, aumentar essa integração nos próximos anos, é uma de nossas sugestões do comitê consultivo”, disse João Fernando Gomes de Oliveira.

Ainda segundo ele, as conexões com outros grupos de pesquisa, empresas, governo e setores da sociedade merecem destaque no último ano. “Os recursos financeiros obtidos cresceram de maneira impressionante e estamos surpresos de como os pesquisadores conhecem os problemas da sociedade, essa visão realista envolve alunos e outros membros da academia. Houve um amadurecimento muito grande deste grupo de pesquisadores que estabelece pra si próprios a missão de produzir impacto e ajudar o setor empresarial. Cria-se um valor nesse grupo que é muito positivo, tem mérito e é raro em um ambiente universitário. É muito gratificante confirmar que o CeMEAI realmente coloca em prática as recomendações que fazemos, nos sentimos contribuindo e participando de todo desenvolvimento gerado”.

Wil Schilders, da Eindhoven University of Technology, também opinou. Segundo ele, nos próximos anos o CeMEAI poderia desenvolver novos projetos com pequenas e médias empresas que podem até desconhecer seus problemas matemáticos. “Muitas vezes, essas empresas não têm dinheiro para arcar com o projeto ou uma consultoria e o Centro poderia ajudar. Acho que existem muitas oportunidades. É necessário olhar para as oportunidades que necessitam de matemática para resolver os problemas, mas não para matemática já existente”.

Para José Alberto Cuminato, diretor do CeMEAI, a avaliação da reunião do IAC foi bem positiva. “Tivemos um retorno dos avaliadores sobre as atividades que vimos realizando e nos foram recomendadas na reunião anterior, em setembro de 2017. As reuniões do IAC por não serem avaliativas, mas consultivas, fornecem parâmetros para as atividades futuras do Cepid-CeMEAI e é também uma boa oportunidade para os participantes dos vários grupos inteirarem-se das atividades dos demais, promovendo a colaboração interna do Cepid. Desta feita, tivemos a participação de nossos colaboradores dos Cepids Certev e do NEV.  Na avaliação do IAC o CeMEAI está entregando o prometido e tivemos então uma oportunidade para traçar diretrizes para continuar nessa trilha”, finalizou.

 

Sobre o CeMEAI

O Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), com sede no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) financiados pela FAPESP.

O CeMEAI é estruturado para promover o uso de ciências matemáticas como um recurso industrial em três áreas básicas: Ciência de Dados, Mecânica de Fluidos Computacional e Otimização e Pesquisa Operacional.

Além do ICMC-USP, CCET-UFSCar / IMECC-UNICAMP / IBILCE-UNESP / FCT-UNESP / IAE e IME-USP compõem o CeMEAI como instituições associadas.

 

Raquel Vieira - Comunicação CeMEAI

 

Mais informações

Assessoria de Comunicação do CeMEAI: (16) 3373-6609

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Última modificação em Terça, 12 Novembro 2019 16:32