Portuguese Chinese (Simplified) English French German Italian Japanese Russian Spanish

Pesquisa analisa relação entre o crime e infraestrutura ao redor das escolas

Modelo também está sendo aplicado em São Carlos por um convênio com a Prefeitura

 

Pesquisa analisa relação entre o crime e infraestrutura ao redor das escolas

Um trabalho que conta com a participação de pesquisadores do CEPID - CeMEAI em parceria com o Núcleo de Estudos da Violência da USP busca entender a relação entre os padrões de criminalidade e as características de cada região da cidade de São Paulo. Conheça melhor o estudo, que já está sendo aplicado em São Carlos/SP:

Publicado por CEPID - CeMEAI em Terça-feira, 17 de março de 2020

 

Entender a relação entre os padrões de criminalidade e as características de cada região da cidade de São Paulo é o tema central de uma pesquisa orientada pelo pesquisador Afonso Paiva Neto do Centro de Pesquisa, Inovação e Difusão em Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CEPID-CeMEAI) e que conta com colaboração de Luis Gustavo Nonato em parceria com o Núcleo de Estudos da Violência (NEV).

A aluna de doutorado Jaqueline Alvarenga Silveira trabalhou com dados reais fornecidos pelo NEV e que deram suporte para um estudo direcionado à análise específica das atividades criminosas ao redor das escolas.

“O nosso maior objetivo neste trabalho era entender essa relação entre a criminalidade e infraestrutura no entorno dos grupos de escolas analisados para poder ajudar os formuladores de políticas públicas em suas decisões”, diz Jaqueline.

“Desenvolvemos um mecanismo analítico versátil baseado na decomposição de tensor para extrair padrões de várias fontes de dados, permitindo o agrupamento de escolas de acordo com esses padrões. Mais especificamente, reunimos indicadores socioeconômicos, informações sobre infraestrutura urbana e histórico criminal envolvendo mais de seis mil escolas na cidade de São Paulo. O modelo permitiu combinar e extrair os padrões mais representativos para cada grupo de escolas”, explica.

Entre as conclusões obtidas Jaqueline cita o fato de existir uma relação direta entre o aumento do número de ponto de ônibus e bares e o aumento de crimes, especialmente o crime transeunte. “Identificamos, por exemplo, padrões que mostram que existe roubo de carro no período da tarde no entorno de grupos de escolas. Uma explicação para isso se deve justamente por conta do congestionamento de carros gerado na saída das aulas”.

O orientador de Jaqueline, Afonso Paiva Neto, lembra que outras tantas variáveis podem ser concluídas por intermédio dessa ferramenta, auxiliando nas tomadas de decisões dos gestores públicos. “O trabalho pode auxiliar em políticas de segurança nas escolas que já existem e também no planejamento de novas unidades a serem construídas”, comenta.

Segundo ele, o próximo passo da pesquisa é evoluir para a relação entre violência no entorno das escolas e desempenho dos alunos.

O município de São Carlos, no interior de São Paulo já está sendo beneficiado pela pesquisa. Um convênio foi firmado com a Prefeitura Municipal e irá auxiliar a Secretaria de Segurança Pública a melhorar a segurança nas escolas.

 

Sobre o CeMEAI

O Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), com sede no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) financiados pela FAPESP.

O CeMEAI é estruturado para promover o uso de ciências matemáticas como um recurso industrial em três áreas básicas: Ciência de Dados, Mecânica de Fluidos Computacional e Otimização e Pesquisa Operacional.

Além do ICMC-USP, CCET-UFSCar / IMECC-UNICAMP / IBILCE-UNESP / FCT-UNESP / IAE e IME-USP compõem o CeMEAI como instituições associadas.

 

Raquel Vieira - Comunicação CeMEAI

 

Mais informações

Assessoria de Comunicação do CeMEAI: (16) 3373-6609

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Horrores de um mundo sem escolha

Horrores de um mundo sem escolha

Seminário de Coisas Legais retorna na sexta-feira, 13

 

O Seminário de Coisas Legais voltou nesta sexta-feira, 13.

O evento que conta com o apoio do Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), recebeu Rodrigo Roque Dias, da Universidade Federal do ABC, para a primeira apresentação do ano.

A apresentação teve como título "A Hora do Pesadelo: Horrores de um mundo sem escolha".

Veja como foi:

Horrores de um mundo sem escolha

O Seminário de Coisas Legais voltou nesta sexta-feira (13) e recebeu Rodrigo Roque Dias, da UFABC - Universidade Federal do ABC, para a primeira apresentação do ano. Veja como foi:

Publicado por CEPID - CeMEAI em Sexta-feira, 13 de março de 2020

CeMEAI apoia conferência de modelagem estatística em finanças

Evento organizado pelo IME-USP e ABE chegou à 7ª edição

 

 

 

A Seventh Brazilian Conference on Statistical Modelling in Insurance and Finance ocorreu em Maresias, na cidade de São Sebastião, litoral de São Paulo. O Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI) apoia o evento organizado pelo Instituto de Matemática e Estatística da Universidade de São Paulo (IME-USP) e a Associação Brasileira de Estatística (ABE).

Professor do IME e pesquisador do CeMEAI, Nikolai Valtchev Kolev coordena a conferência que visa proporcionar um fórum para a apresentação de pesquisas de ponta no desenvolvimento, implementação e aplicações reais da Modelagem Estatística/Estocástica em Ciências Atuariais e Finanças, além de promover discussões e intercâmbio entre cientistas.

A sétima edição ocorreu entre 1 e 6 de março e foi aberta às comunidades acadêmicas e não acadêmicas de universidades, companhias de seguros, bancos, empresas de consultoria e agências governamentais e foi projetada especificamente para contribuir para promover a cooperação entre profissionais e teóricos no campo.

A ciência de dados foi o principal tópico da conferência, com apresentações de palestras e cursos de curta duração.

Francisco Louzada Neto, coordenador de Transferência Tecnológica do CeMEAI foi um dos apresentadores. “O evento teve um formado que aproximou os participantes, o que nos deu oportunidade de relacionamento intenso com pesquisadores de 15 diferentes nacionalidades. Tivemos a oportunidade ainda de mostrar que o Brasil está na linha de frente em termos de ciências matemáticas na transferência tecnológica para as indústrias de seguro e finanças”.

“A sétima edição do evento apresentou resultados de pesquisas recentes efetuadas por professores e alunos estrangeiros do Brasil e outras quinze nacionalidades, bem como pessoal técnico das indústrias de seguro e finanças do Estado de São Paulo. Os minicursos oferecidos envolveram linguagens de programação para machine learning e técnicas de estimação de reservas na indústria de seguros”, explicou Nikolai.

Ainda segundo ele, muitos resultados científicos apresentados na conferência podem ser traduzidos em ferramentas estatísticas que tornam possível a estimação mais acurada dos riscos aos quais as indústrias de finanças e seguros estão submetidas: crédito, operacional, mercado, entre outros. “Nesse sentido, o evento contribui para a disseminação de inovações nas áreas de risco e data science que podem auxiliar no processo decisório dessas indústrias, tornando-as mais competitivas e lucrativas”, finalizou.

O diretor do CeMEAI, José Alberto Cuminato, participou do evento e comentou o apoio do Centro. “A indústria financeira sempre esteve no radar do CeMEAI que gostaria de ter mais parcerias com o setor. O CeMEAI apoia com entusiasmo iniciativas como as do Prof. Nikolai na organização desta conferência, que promoveu a participação de pesquisadores nacionais e internacionais reconhecidos assim como colaboradores da indústria financeira e seguros que estão implantando o estado da arte no aprimoramento do seu negócio”.

 

Sobre o CeMEAI

O Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), com sede no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) financiados pela FAPESP.

O CeMEAI é estruturado para promover o uso de ciências matemáticas como um recurso industrial em três áreas básicas: Ciência de Dados, Mecânica de Fluidos Computacional e Otimização e Pesquisa Operacional.

Além do ICMC-USP, CCET-UFSCar / IMECC-UNICAMP / IBILCE-UNESP / FCT-UNESP / IAE e IME-USP compõem o CeMEAI como instituições associadas.

 

Raquel Vieira - Comunicação CeMEAI

 

Mais informações

Assessoria de Comunicação do CeMEAI: (16) 3373-6609

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Sexta-feira 13 marca o retorno do Seminário de Coisas Legais

Apresentação será a primeira do ciclo em 2020

 

scl

 

O Seminário de Coisas Legais está de volta! A iniciativa, coordenada pelos professores do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP em São Carlos Leandro Aurichi e Marina Andretta, que também é pesquisadora do Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), receberá Rodrigo Roque Dias, da Universidade Federal do ABC, para a primeira apresentação do ano.

Confira o resumo da apresentação "A Hora do Pesadelo: Horrores de um mundo sem escolha":

"Há quem se posicione contra o Axioma da Escolha por ele ter algumas consequências aterrorizantes, como o sinistro Paradoxo de Banach-Tarski. Nesta sexta-feira 13 veremos que a alternativa de um mundo em que todo subconjunto da reta real é mensurável (o que eliminaria o Paradoxo de Banach-Tarski) daria origem a criaturas ainda mais assustadoras".

O Seminário será realizado na próxima sexta-feira (13), às 13h13, no Auditório Luiz Antonio Favaro, no bloco 4 do ICMC. A palestra é aberta ao público e não é necessária inscrição prévia.

 

Sobre o CeMEAI

O Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), com sede no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) financiados pela FAPESP.

O CeMEAI é estruturado para promover o uso de ciências matemáticas como um recurso industrial em três áreas básicas: Ciência de Dados, Mecânica de Fluidos Computacional e Otimização e Pesquisa Operacional.

Além do ICMC-USP, CCET-UFSCar / IMECC-UNICAMP / IBILCE-UNESP / FCT-UNESP / IAE e IME-USP compõem o CeMEAI como instituições associadas.

 

Leonardo Zacarin - Comunicação CeMEAI

 

Mais informações

Assessoria de Comunicação do CeMEAI: (16) 3373-6609

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Modelo de otimização contribui com sustentabilidade na agricultura

Ações são sugeridas aos produtores visando resultados econômicos e ambientais

 

Modelo de otimização contribui com sustentabilidade na agricultura

Uma tese de doutorado orientada pelo professor Geraldo Silva, do Ibilce/Unesp e pesquisador do CEPID - CeMEAI, desenvolveu um modelo de otimização que contribui com a sustentabilidade na agricultura. Entenda melhor o trabalho:

Publicado por CEPID - CeMEAI em Terça-feira, 3 de março de 2020

 

A tese denominada Arquitetura de Controle para Gestão de Recursos na Agricultura de Precisão, do aluno de doutorado Ismael Pena, do Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas da Universidade Estadual Paulista (Unesp/ São José do Rio Preto) é uma importante contribuição para o meio ambiente.

Orientada pelo professor Geraldo Nunes Silva - que é também pesquisador do Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), ela investiga um paradigma de controle para a gestão coordenada de recursos na agricultura, em um contexto em que diversas unidades de produção que buscam o máximo retorno econômico em cada ciclo de produção são articuladas de forma a garantir a sustentabilidade ambiental e econômico-social de longo prazo.

“Para isso, utilizamos um esquema de controle com dois níveis em que no nível inferior, são resolvidos problemas de controle ótimo com restrições para cada uma das unidades de produção e no nível superior, utiliza-se um novo paradigma de Controle Preditivo para promover a coordenação global no sentido de assegurar a sustentabilidade ambiental no longo prazo”, explica Ismael.

Ainda segundo ele, a novidade deste esquema de MPC com relação aos convencionais consiste no fato de que o modelo do sistema dinâmico associado não está definido a priori, mas surge das decisões de gestão e controle de cada uma das unidades de produção. Além do estudo de algumas propriedades importantes, foi demonstrada a existência de solução global que resulta da convergência do esquema global, assim como a estabilidade assintótica do mesmo.

 

Sobre o CeMEAI

O Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), com sede no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) financiados pela FAPESP.

O CeMEAI é estruturado para promover o uso de ciências matemáticas como um recurso industrial em três áreas básicas: Ciência de Dados, Mecânica de Fluidos Computacional e Otimização e Pesquisa Operacional.

Além do ICMC-USP, CCET-UFSCar / IMECC-UNICAMP / IBILCE-UNESP / FCT-UNESP / IAE e IME-USP compõem o CeMEAI como instituições associadas.

 

Raquel Vieira - Comunicação CeMEAI

 

Mais informações

Assessoria de Comunicação do CeMEAI: (16) 3373-6609

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Membros do CeMEAI participam de workshop no IMPA

Evento busca aproximar indústria e universidades

 

 

O Instituto de Matemática Pura e Aplicada (IMPA) sediou, nos últimos dias 13 e 14 de fevereiro, a primeira edição do Workshop Matemática e Indústria. O evento foi organizado pelo próprio Instituto em parceria com o Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI).

O Workshop teve como objetivo principal incentivar o diálogo entre as instituições organizadoras e o setor produtivo, em particular com as áreas de energia e de finanças, apresentando ferramentas matemáticas existentes para resolução de problemas concretos da indústria.

Na quinta-feira (13), o foco do Workshop foram as áreas de petróleo e energia. O CeMEAI foi apresentado aos participantes do evento pelo diretor José Alberto Cuminato. Além dele, representaram o Centro os pesquisadores Luis Gustavo Nonato, que falou sobre a utilização da Ciência de Dados na melhoria de políticas públicas na área da segurança, Francisco Louzada, que comentou o desenvolvimento de metodologias e métricas de confiabilidade de equipamentos de construção de poços, Fabrício Simeoni de Sousa, que apresentou um trabalho de métodos multiescala para a simulação de escoamentos incompressíveis em reservatórios carstificados, e Claudia Sagastizábal, que falou sobre respostas da matemática industrial à gestão de riscos em ambiente competitivo.

 

 

O primeiro dia de evento também recebeu representantes de instituições como Petrobras, Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), Laboratório Nacional de Computação Científica (LNCC), Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) e Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), além do IMPA.

A sexta-feira (14) foi voltada a trabalhos relacionados a ciências matemáticas, finanças e mercado. Os professores André Carvalho e Tiago Pereira foram os representantes do CeMEAI - a apresentação de Carvalho abordou a Ciência de Dados e o aprendizado de máquina, enquanto Pereira falou sobre a revelação de transições críticas a partir de dados. Membros da Stone.Co, da Hurb, da McKinsey & Company e da Universidade Federal de Alagoas (UFAL) também participaram das apresentações do segundo dia do workshop.

Depois das exposições, todos os participantes se reuniram para discutir os problemas levantados. “Essa interação entre academia e indústria é muito importante. Assim como acontece nos workshops do CeMEAI, a experiência neste evento do IMPA foi muito boa para todas as partes”, comemora Louzada. “Esperamos que surjam cada vez mais eventos deste tipo no Brasil para popularizar as ciências matemáticas e encontrar cada vez mais aplicações práticas que causem impacto na vida das pessoas”, finaliza.

 

Sobre o CeMEAI

O Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), com sede no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) financiados pela FAPESP.

O CeMEAI é estruturado para promover o uso de ciências matemáticas como um recurso industrial em três áreas básicas: Ciência de Dados, Mecânica de Fluidos Computacional e Otimização e Pesquisa Operacional.

Além do ICMC-USP, CCET-UFSCar / IMECC-UNICAMP / IBILCE-UNESP / FCT-UNESP / IAE e IME-USP compõem o CeMEAI como instituições associadas.

 

Leonardo Zacarin - Comunicação CeMEAI

 

Mais informações

Assessoria de Comunicação do CeMEAI: (16) 3373-6609

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Pesquisadores do CeMEAI discutem próximos passos do Centro

Encontro foi realizado em São Carlos na última sexta-feira (7)

 

 

Na última sexta-feira (7), o Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI) reuniu cerca de 20 de seus pesquisadores para apresentar projetos recentes, trocar experiências e discutir os pontos levantados pelo comitê internacional que visitou a sede do Centro no fim de 2019 e criou um relatório que aponta os principais avanços e também algumas possibilidades de melhoria.

O encontro foi dividido em duas partes. Pela manhã, os pesquisadores, representantes de diversos institutos da USP, UFSCar, Unesp, Unicamp e do IAE/DCTA, foram recebidos pelo professor José Alberto Cuminato, diretor do CeMEAI, e fizeram apresentações de alguns projetos recentes e de destaque que vêm desenvolvendo.

Além de detalharem projetos de ponta nas áreas de mecânica dos fluidos, otimização e ciências de dados, as exposições foram importantes para a troca de ideias e insights entre os pesquisadores, que, por trabalharem em instituições espalhadas por todo o estado, nem sempre têm a oportunidade de se encontrar pessoalmente para discutir seus trabalhos com os colegas de CeMEAI.

“No CeMEAI, temos um ponto de vista constitutivo. A colaboração entre diferentes áreas e subáreas da matemática e da computação e diferentes instituições e regiões do estado de São Paulo é criativa e a união é maior que a soma das partes. Se nós não pensássemos isso, o Centro não existiria. Pensamos fortemente isso e eu acho que, ao longo dos anos de existência do CeMEAI, isso tem sido confirmado”, comemora José Mario Martínez, professor do Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica (IMECC) da Unicamp e vice-diretor do Centro.

Brevemente, dezenas de projetos foram apresentados e discutidos entre todos os presentes. Da aplicação da matemática à energia elétrica ao estudo do arrasto em aviões, todas as áreas do Centro foram contempladas, o que ajudou ainda mais a dar um panorama completo dos trabalhos desenvolvidos.

No período da tarde, os pesquisadores promoveram discussões sobre o último relatório criado pelo comitê internacional de avaliação.

“Essas observações têm sido importantes para chamar a atenção de algumas questões que estamos preocupados em atender, em construir essa ideia da matemática aplicada à indústria, mas às vezes fogem alguns aspectos por estarmos centrados na atividade principal do projeto. Quando o comitê vem e aponta algumas questões que ainda não tínhamos observado, ele chama a atenção para, na próxima etapa, a gente melhorar mais ainda as atividades que estamos desenvolvendo”, explica Socorro Rangel, professora do Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas (IBILCE) da Unesp em São José do Rio Preto.

O professor Lúcio Tunes dos Santos, também do IMECC e coordenador da área de Educação e Difusão do CeMEAI, também se mostrou animado com a reunião. “Essa reunião é ótima, porque é esse tipo de reunião que coloca direções de como as pessoas estão se sentindo dentro do CeMEAI e o que cada um espera para daqui a alguns anos. Acho que vale a pena fazer esse tipo de reunião, ainda mais após uma avaliação do comitê”, reitera.

 

Sobre o CeMEAI

O Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), com sede no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) financiados pela FAPESP.

O CeMEAI é estruturado para promover o uso de ciências matemáticas como um recurso industrial em três áreas básicas: Ciência de Dados, Mecânica de Fluidos Computacional e Otimização e Pesquisa Operacional.

Além do ICMC-USP, CCET-UFSCar / IMECC-UNICAMP / IBILCE-UNESP / FCT-UNESP / IAE e IME-USP compõem o CeMEAI como instituições associadas.

 

Leonardo Zacarin - Comunicação CeMEAI

 

Mais informações

Assessoria de Comunicação do CeMEAI: (16) 3373-6609

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Tem início MBA em Ciências de Dados oferecido pelo CeMEAI

Aulas do curso a distância começaram no último sábado

 

O MBA em Ciências de Dados oferecido pelo Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI) e pelo Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC/USP) teve início no último sábado é o primeiro da área a ser oferecido a distância por uma universidade pública.

Até dezembro, o curso que conta com uma equipe de cientistas da computação, estatística e matemática aplicada irá oferecer aos 176 alunos selecionados uma oportunidade única de capacitação com o know how USP de educação, propiciando aos participantes além de teoria, transferência tecnológica ao mercado profissional que representam.

Confira mais no vídeo:

 

Tem início MBA em Ciências de Dados oferecido pelo CeMEAI

Oferecido pelo CEPID - CeMEAI e pelo Icmc Usp, o MBA em Ciências de Dados teve início no último sábado e é o primeiro da área a ser oferecido a distância por uma universidade pública. Conheça o programa:

Publicado por CEPID - CeMEAI em Quinta-feira, 6 de fevereiro de 2020

Pesquisador analisa epidemia do coronavírus

Pesquisador analisa epidemia do coronavírus

Como a matemática pode auxiliar em políticas de controle

 

O que o coronavírus tem a ver com matemática? Se pensarmos que toda epidemia é também um sistema complexo, uma rede que conecta pessoas e dissemina a doença, muita coisa! Por meio de equações e modelos matemáticos, é possível calcular a magnitude de uma epidemia e como ela se comporta entre as pessoas infectadas.

Especialista nessa área, Francisco Rodrigues, professor do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC-USP), tem importantes trabalhos com cooperação internacional que tentam controlar ou minimizar, por meio de modelagem matemática, os impactos de uma epidemia, visando, entre outras aplicações, auxiliar em ações de controles epidemiológicos.

Ele analisou o coronavírus. Confira a entrevista:

 

Pesquisador analisa epidemia do coronavírus

O que o coronavírus tem a ver com matemática? Se pensarmos que toda epidemia é também uma rede que conecta pessoas e dissemina a doença, muita coisa! O professor Francisco Rodrigues, do Icmc Usp e pesquisador do CEPID - CeMEAI, desenvolve trabalhos na área e analisou a mais nova ameaça à saúde mundial. Confira:

Publicado por CEPID - CeMEAI em Terça-feira, 4 de fevereiro de 2020

iSports é ampliado e ajuda a identificar talentos no judô

App analisa desempenho de atletas da Confederação Brasileira

 

Foto início iSports Judô editada 

 

Procurados pelo instrutor consultivo da Confederação Brasileira de Judô, Marcus Agostino, pesquisadores do Instituto de Ciências Matemáticas e da Computação (ICMC- USP) que desenvolveram o iSports, com apoio Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), aceitaram o desafio de ampliar a pesquisa, inicialmente com foco na identificação de talentos no futebol, para esta outra modalidade esportiva.

A atual responsável pelo projeto coordenado por Francisco Louzada Neto, Caroline Godoy, explica que a ideia da Confederação inicialmente era automatizar a coleta de dados que já é feita, acrescentando algum tipo de análise estatística que diferenciasse os talentos neste esporte.

“A ideia é a mesma do trabalho desenvolvido com o futebol (coleta, análise e identificação de talento) o que mudou foi o tipo de variável coletada, pois é outro esporte e a visualização do aplicativo que estamos desenvolvendo”, explicou.

Ainda segundo a pesquisadora, a análise teve início pelos atletas do sub-20 que tiveram os dados coletados em competições brasileiras. “Após o recebimento desses dados, estamos analisando variáveis com informações físicas e técnicas para identificar características como desempenho do judoca e habilidades em luta”.

Dados da Confederação estimam que o Brasil tenha mais de dois milhões de praticantes de judô, sendo 10% desse total, atletas profissionais. O judô está entre os dez esportes mais praticados do país.

“O iSports Judô pode auxiliar automatizando e agilizando a coleta de informações que já são feitas nas competições, oferecendo uma descrição completa do atleta que poderá verificar seu desempenho e compará-lo com os demais competidores. O programa poderá também abrir portas para atletas não profissionais acompanharem seus desempenhos pelo aplicativo onde eles poderão inserir suas informações, ter respostas e compará-las”, comentou.

“A ideia deste trabalho que foi remodelado e ampliado é proporcionar controle e acompanhamento do desempenho do atleta profissional, bem como a identificação de talentos e proporcionar um App para os não profissionais se compararem com os principais atletas do país”, resumiu Caroline.

Além da coordenação de Louzada e Caroline, o grupo que trabalha neste projeto é formado pelo Prof. Dr. Anderson Luiz Ara Souza (Docente UFBA), Marcos Jardel Henrique (Aluno de Doutorado em Estatística UFSCar/ICMC-USP), Gustavo Zabotto (Aluno Graduação), Júlio Trevisan Centanin (Aluno Graduação), Vinícius Loureiro Siqueira (Aluno Graduação) e
Wesley Da Silva (Aluno Graduação).

Além de receber o apoio do CeMEAI, o projeto também faz parte do ICMCIn, coordenado pela professora Solange Rezende, cujo objetivo é disponibilizar espaço e apoio para uma pré-incubação e/ou uma formação empreendedora para projetos de inovação.

 

Sobre o CeMEAI

O Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), com sede no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) financiados pela FAPESP.

O CeMEAI é estruturado para promover o uso de ciências matemáticas como um recurso industrial em três áreas básicas: Ciência de Dados, Mecânica de Fluidos Computacional e Otimização e Pesquisa Operacional.

Além do ICMC-USP, CCET-UFSCar / IMECC-UNICAMP / IBILCE-UNESP / FCT-UNESP / IAE e IME-USP compõem o CeMEAI como instituições associadas.

 

Raquel Vieira - Comunicação CeMEAI

 

Mais informações

Assessoria de Comunicação do CeMEAI: (16) 3373-6609

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Página 2 de 54