Portuguese Chinese (Simplified) English French German Italian Japanese Russian Spanish

iSports é ampliado e ajuda a identificar talentos no judô

App analisa desempenho de atletas da Confederação Brasileira

 

Foto início iSports Judô editada 

 

Procurados pelo instrutor consultivo da Confederação Brasileira de Judô, Marcus Agostino, pesquisadores do Instituto de Ciências Matemáticas e da Computação (ICMC- USP) que desenvolveram o iSports, com apoio Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), aceitaram o desafio de ampliar a pesquisa, inicialmente com foco na identificação de talentos no futebol, para esta outra modalidade esportiva.

A atual responsável pelo projeto coordenado por Francisco Louzada Neto, Caroline Godoy, explica que a ideia da Confederação inicialmente era automatizar a coleta de dados que já é feita, acrescentando algum tipo de análise estatística que diferenciasse os talentos neste esporte.

“A ideia é a mesma do trabalho desenvolvido com o futebol (coleta, análise e identificação de talento) o que mudou foi o tipo de variável coletada, pois é outro esporte e a visualização do aplicativo que estamos desenvolvendo”, explicou.

Ainda segundo a pesquisadora, a análise teve início pelos atletas do sub-20 que tiveram os dados coletados em competições brasileiras. “Após o recebimento desses dados, estamos analisando variáveis com informações físicas e técnicas para identificar características como desempenho do judoca e habilidades em luta”.

Dados da Confederação estimam que o Brasil tenha mais de dois milhões de praticantes de judô, sendo 10% desse total, atletas profissionais. O judô está entre os dez esportes mais praticados do país.

“O iSports Judô pode auxiliar automatizando e agilizando a coleta de informações que já são feitas nas competições, oferecendo uma descrição completa do atleta que poderá verificar seu desempenho e compará-lo com os demais competidores. O programa poderá também abrir portas para atletas não profissionais acompanharem seus desempenhos pelo aplicativo onde eles poderão inserir suas informações, ter respostas e compará-las”, comentou.

“A ideia deste trabalho que foi remodelado e ampliado é proporcionar controle e acompanhamento do desempenho do atleta profissional, bem como a identificação de talentos e proporcionar um App para os não profissionais se compararem com os principais atletas do país”, resumiu Caroline.

Além da coordenação de Louzada e Caroline, o grupo que trabalha neste projeto é formado pelo Prof. Dr. Anderson Luiz Ara Souza (Docente UFBA), Marcos Jardel Henrique (Aluno de Doutorado em Estatística UFSCar/ICMC-USP), Gustavo Zabotto (Aluno Graduação), Júlio Trevisan Centanin (Aluno Graduação), Vinícius Loureiro Siqueira (Aluno Graduação) e
Wesley Da Silva (Aluno Graduação).

Além de receber o apoio do CeMEAI, o projeto também faz parte do ICMCIn, coordenado pela professora Solange Rezende, cujo objetivo é disponibilizar espaço e apoio para uma pré-incubação e/ou uma formação empreendedora para projetos de inovação.

 

Sobre o CeMEAI

O Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), com sede no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) financiados pela FAPESP.

O CeMEAI é estruturado para promover o uso de ciências matemáticas como um recurso industrial em três áreas básicas: Ciência de Dados, Mecânica de Fluidos Computacional e Otimização e Pesquisa Operacional.

Além do ICMC-USP, CCET-UFSCar / IMECC-UNICAMP / IBILCE-UNESP / FCT-UNESP / IAE e IME-USP compõem o CeMEAI como instituições associadas.

 

Raquel Vieira - Comunicação CeMEAI

 

Mais informações

Assessoria de Comunicação do CeMEAI: (16) 3373-6609

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

jornal da usp

O Brasil é um país de dimensões continentais e com uma população que possui variadas habilidades e biotipos. Tais características o tornam mundialmente conhecido como um “celeiro” de talentos para as mais diversas modalidades esportivas. Isso é ótimo para o esporte brasileiro, mas cria uma dificuldade para clubes e profissionais: é difícil (e caro) percorrer enormes distâncias para encontrar “aquele” talento para “tal” ou “qual” modalidade.

 

CLIQUE AQUI para ler a notícia completa!

Projeto iSports é atração na Semana Nacional de Ciência e Tecnologia

Evento ocorreu neste ano em Cuiabá e teve como tema “A matemática está em tudo”

 

isports

Alexandre Maiorano (em pé, à direita) apresentou o sistema na SNCT

 

Com o principal objetivo de aproximar Ciência e Tecnologia da população, ocorreu entre 23 e 26 de outubro, em Cuiabá, Mato Grosso, a 14ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT), promovida pelo Ministério da Ciência, Tecnologia Inovações e Comunicações (MCTIC).

Um dos projetos de maior destaque desenvolvido no CEPID-CeMEAI, por intermédio do pesquisador e coordenador de Transferência de tecnologia Francisco Louzada Neto – o iSports, que identifica talentos esportivos, foi apresentado no evento.

O aluno de doutorado de Louzada Neto, Alexandre Maiorano, ministrou a oficina “Você é bom no futebol? Teste as suas habilidades!”. Durante a oficina, alunos de ensino médio de escolas de Cuiabá foram testados quanto as habilidades neste esporte. Os trabalhos ocorreram na Arena Pantanal e contaram com a participação de vários docentes e alunos dos Departamentos de Matemática e Estatística da Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT).

“Ficamos surpresos com a receptividade, tanto dos docentes da UFMT, quanto dos alunos do ensino médio, que ficaram muito empolgados com os resultados obtidos”, comentou Maiorano.

A SNCT tem o objetivo de aproximar a Ciência e Tecnologia da população, promovendo eventos que congregam centenas de instituições a fim de realizarem atividades de divulgação científica em todo o país. A ideia é criar uma linguagem acessível à população, por meios inovadores que estimulem a curiosidade e motivem a população a discutir as implicações sociais da Ciência, além de aprofundarem seus conhecimentos sobre o tema.

 

Sobre o CeMEAI

O Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), com sede no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) financiados pela FAPESP.

O CeMEAI é estruturado para promover o uso de ciências matemáticas como um recurso industrial em quatro áreas básicas: Otimização Aplicada e Pesquisa Operacional, Mecânica de Fluidos Computacional, Modelagem de Risco, Inteligência Computacional e Engenharia de Software.

Além do ICMC-USP, CCET-UFSCar, IMECC-UNICAMP, IBILCE-UNESP, FCT-UNESP, IAE e IME-USP compõem o CeMEAI como instituições associadas.

 

Raquel Vieira - Comunicação CeMEAI

 

Mais informações

Assessoria de Comunicação do CeMEAI: (16) 3373-6609

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

 

globo

 

 

Alexandre Henderson participa de um treinamento de futebol com uma galerinha muito jovem e tem seu desempenho analisado por um programa que usa a Matemática para descobrir novos talentos. Os números não mentem na hora de revelar os futuros craques! Será que o Alexandre é mesmo bom de bola?

 

CLIQUE AQUI para assistir à reportagem!

ag fapesp logo alt

 

O Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) apoiados pela FAPESP, firmou parceria com duas instituições chilenas: o Centro de Estudios Avanzados de Fisiologia del Ejercicio (CEAFE) e o Departamento Deporte de Alto Rendimiento, do Instituto Nacional de Deportes, de acordo com a Assessoria de Comunicação do CeMEAI.

O acordo envolveu a entrega do módulo iSports – Chile Children, derivado do iSports, sistema desenvolvido pelos pesquisadores Francisco Louzada Neto, coordenador de transferência de tecnologia do CeMEAI, Anderson Ara, aluno de pós-doutorado do Centro, e Alexandre Maiorano, aluno de doutorado do Programa Interinstitucional de Pós-Graduação em Estatística (PIPGEs) da Universidade de São Paulo (USP) e da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar).

CLIQUE AQUI para ler a notícia completa!

Ajuda esportiva móvel

correio braziliense logo

 

A paixão do brasileiro por esportes é destaque também no mundo tecnológico. A pesquisa Brazil Mobile Insights, realizada este ano, revelou que a categoria está em segundo lugar na lista de preferência de aplicativos para smartphones dos habitantes. Segundo o estudo realizado pelo Yahoo, por meio do Flurry (ferramenta para análise de aplicativos móveis), o Brasil dedica mais tempo às ferramentas esportivas do que a média internacional. 

CLIQUE AQUI para ler a notícia completa!

CeMEAI auxilia instituições chilenas para o desenvolvimento esportivo

Módulo de detecção de talentos esportivos foi entregue em reunião no início do mês

 

isports chile

 

No último dia 5 de outubro, uma reunião realizada em Santiago, no Chile, selou uma colaboração entre o Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI) e duas instituições chilenas: o Centro de Estudios Avanzados de Fisiologia del Ejercicio (CEAFE) e o Departamento Deporte de Alto Rendimiento, do Instituto Nacional de Deportes.

O encontro foi marcado pela entrega do módulo iSports – Chile Children, derivado do iSports, que pretende disponibilizar aos treinadores e pesquisadores chilenos uma visão holística e individualizada dos estudantes chilenos para detectar talentos esportivos e obter alto desempenho dos atletas.

O sistema foi desenvolvido pelos pesquisadores Francisco Louzada Neto, coordenador de transferência de tecnologia do CeMEAI, Anderson Ara, aluno de pós-doutorado do CeMEAI, e Alexandre Maiorano, aluno de doutorado do Programa Interinstitucional de Pós-Graduação em Estatística (PIPGEs) da USP e da UFSCar.

“Desde que cheguei ao Chile, sonho em aplicar a estratégia Z para encontrar novos talentos. Quero seguir com este sonho”, afirma o brasileiro Josivaldo Souza Lima, pesquisador do CEAFE.

O doutor Aquiles Yáñes Silva, outro membro do CEAFE, também comemorou a parceria. “Agradeço a prestação e a excelente contribuição para este projeto, que deve ser realizado, em especial, porque é uma verdadeira contribuição para o desenvolvimento nesta área árida e complexa do conhecimento. Isso deve ter um grande impacto sobre diversos temas, como esportes, educação, saúde e políticas para atividades físicas e esportivas”, enaltece.

Louzada foi outro a frisar a importância da parceria. “Fiquei muito contente com a empolgação da equipe chilena. Percebi que, de fato, o módulo de acompanhamento das crianças chilenas que estamos desenvolvendo vai auxiliá-los de forma ímpar na identificação de possíveis talentos esportivos, o que pode culminar em um processo de investimento esportivo de precisão”, constata. ““Espero que, em um futuro próximo, possamos formalizar o relacionamento das equipes de pesquisadores brasileiros e chilenos, impulsionando a atuação internacional formal do CeMEAI”, finaliza.

 

Sobre o CeMEAI

O Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), com sede no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) financiados pela FAPESP.

O CeMEAI é estruturado para promover o uso de ciências matemáticas como um recurso industrial em quatro áreas básicas: Otimização Aplicada e Pesquisa Operacional, Mecânica de Fluidos Computacional, Modelagem de Risco, Inteligência Computacional e Engenharia de Software.

Além do ICMC-USP, CCET-UFSCar, IMECC-UNICAMP, IBILCE-UNESP, FCT-UNESP, IAE e IME-USP compõem o CeMEAI como instituições associadas.

 

Leonardo Zacarin - Comunicação CeMEAI

 

Mais informações

Assessoria de Comunicação do CeMEAI: (16) 3373-6609

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Peneira virtual

pesquisa fapesp

 

Peneira é o nome popular dos testes que os clubes de futebol promovem periodicamente em busca de talentos mirins para suas categorias de base. Dezenas, às vezes centenas de garotos são agrupados em um campo de futebol e distribuídos em diferentes equipes, que jogam umas contra as outras. Funcionários do clube observam os candidatos a jogador e, ao final de uma série de partidas de curta duração, separam os que eventualmente se destacam por algum motivo, como ser bom de drible ou ter noções de posicionamento em campo. Em geral, a escolha dos meninos depende essencialmente do “olho treinado” dos promotores da peneira para antever futuros craques.

 

CLIQUE AQUI para ler a notícia completa!

 

Olheiro virtual

ch

No Brasil e no mundo, a forma mais comum de encontrar talentos no esporte é o trabalho de olheiros. Como o nome diz, são especialistas que ficam de olho em jovens atletas para descobrir os mais promissores. Esse processo, no entanto, é lento, trabalhoso e pode deixar muitos esportistas talentosos passarem despercebidos – imagine estar num mau dia justamente quando da passagem do olheiro pelo seu centro de treinamento?

 

CLIQUE AQUI para ler a reportagem completa!

estadao

 

Em um País de mais de 200 milhões de habitantes como o Brasil, quantos possíveis esportistas são perdidos pela falta de identificação? Para evitar isso, um trio de estatísticos da UFSCar (Universidade Federal de São Carlos) e da USP (Universidade de São Paulo) desenvolveu um sistema que promete ajudar treinadores, olheiros e professores de educação física de uma maneira geral a descobrirem potenciais atletas de elite.

 

CLIQUE AQUI para ler a notícia completa!

Página 1 de 2