Portuguese Chinese (Simplified) English French German Italian Japanese Russian Spanish

Ferramenta concentra dados atualizados sobre o coronavírus em São Paulo

Informações de mapa interativo são renovadas diariamente por pesquisador do CeMEAI

 

Você tem ideia de quantos casos de coronavírus foram confirmados na sua cidade até hoje? E o número de casos suspeitos? A pandemia tem preocupado a população mundial e, no Brasil, o vírus parece ainda estar em ascensão.

Nesse contexto, o Governo Federal e o Governo do Estado de São Paulo desenvolveram ferramentas públicas para informar a população a respeito do número de casos. Porém, o instrumento disponibilizado pelo Ministério da Saúde mostra apenas o número de casos confirmados em cada estado da Federação, enquanto a ferramenta criada pelo Sistema Estadual de Análise de Dados (SEADE) apresenta dados desatualizados sobre várias cidades do estado.

Na imagem abaixo, retirada do site da SEADE às 14h36 do dia 1º de abril de 2020, podemos perceber, por exemplo, que apenas um caso de Covid-19 consta na cidade de São José do Rio Preto. Segundo a ferramenta, os dados foram atualizados no dia 29 de março. Porém, o boletim oficial da Prefeitura de São José do Rio Preto do dia anterior (28) confirma que 12 pessoas já haviam sido infectadas na cidade.

 

corona seade

 

O mesmo ocorre para outras cidades, como São Carlos, que sequer aparecia no mapa até o acesso na plataforma do Governo Estadual às 14h43 do dia 1º de abril de 2020, mas cuja Prefeitura já havia confirmado o primeiro caso do município no dia 18 de março.

Para informar a população com mais assertividade, o professor Wallace Casaca, do campus da Unesp em Rosana e pesquisador do Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), teve a ideia de desenvolver um mapa interativo com informações atualizadas diariamente a respeito do coronavírus em mais de 60 municípios de São Paulo.

“É importante que a população tenha acesso a informações mais detalhadas e atualizadas sobre a pandemia. Por isso, nosso grupo de pesquisa visita diariamente os boletins oficiais das prefeituras municipais do estado de São Paulo e alimenta o mapa com os dados mais novos que foram divulgados”, explica Casaca.

A ferramenta foi colocada no ar na última quinta-feira (26) e coleta apenas informações oficiais de cada prefeitura dos municípios que já têm casos confirmados do novo coronavírus. “Quando uma pessoa é a primeira a ser infectada em algum município, nós adicionamos essa cidade ao mapa e começamos a acompanhar os boletins de sua prefeitura diariamente também”, salienta o pesquisador.

 

Mapa interativo com as informações atualizadas está disponível desde o dia 26 de março

 

Algumas cidades no mapa contêm mais dados que outras. Segundo o professor, os boletins de cada prefeitura trazem informações diferentes. Algumas falam sobre casos descartados e outras não, da mesma forma que nem todas divulgam dados sobre óbitos em investigação, pacientes internados, suspeitas descartadas etc. “O que nós fazemos é disponibilizar todas as informações passadas por cada município e concentrar no mapa”, resume.

Wallace faz parte de um grupo de pesquisa que conta com cerca de 20 colaboradores do Brasil e do exterior e também tem trabalhos nas áreas de Ciências de Dados, Processamento Digital de Imagens, Sensoriamento Remoto e Modelagem Inteligente Aplicada à Energia.

O trabalho de atualização diária dos dados tem sido conduzido pela pesquisadora Marilaine Colnago, que também é integrante do grupo. Por dia, é necessária 1h30 de trabalho para atualizar os dados manualmente no mapa interativo, já que toda a coleta de dados – na checagem de informações disponibilizadas por cada cidade – é feita de forma manual.

“A ferramenta ainda é recente e a crescente dos casos no Brasil também. Por isso, ainda não temos uma quantidade muito grande de dados. Porém, estamos armazenando tudo isso para que no futuro, possamos dividir os números com outros pesquisadores e analisar os dados para entender melhor como a doença se comporta e, se possível, buscar soluções e políticas públicas de combate ao coronavírus”, finaliza Casaca.

 

Sobre o CeMEAI

O Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), com sede no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) financiados pela FAPESP.

O CeMEAI é estruturado para promover o uso de ciências matemáticas como um recurso industrial em três áreas básicas: Ciência de Dados, Mecânica de Fluidos Computacional e Otimização e Pesquisa Operacional.

Além do ICMC-USP, CCET-UFSCar / IMECC-UNICAMP / IBILCE-UNESP / FCT-UNESP / IAE e IME-USP compõem o CeMEAI como instituições associadas.

 

Leonardo Zacarin - Comunicação CeMEAI

 

Mais informações

Assessoria de Comunicação do CeMEAI: (16) 3373-6609

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Matemático do CeMEAI comenta crise na Bolsa de Valores

Operações seguem numa frequência de queda jamais vista

 

Como ninguém ainda sabe o real impacto que a pandemia do novo coronavírus terá sobre a economia global, analistas da Bolsa de Valores revisam cenários a todo instante. Em apenas uma semana (16 a 20 de março) as ações despencaram, provocando quatro interrupções das sessões, o chamado "circuit breaker", como nunca havia acontecido.

A Bolsa segue sendo interrompida com seguidas baixas e tentamos entender com o matemático Geraldo Nunes da Silva esse momento. Geraldo é professor no Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas, da UNESP, em São José do Rio Preto e também pesquisador principal do Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI) e tem importantes pesquisas e trabalhos na área financeira.

 

Matemático do CeMEAI comenta crise na Bolsa de Valores

Como ninguém ainda sabe o real impacto que a pandemia do novo coronavírus terá sobre a economia global, analistas da Bolsa de Valores revisam cenários a todo instante. Nas últimas semanas, as ações despencaram, provocando várias interrupções das sessões - o chamado "circuit breaker" - como nunca havia acontecido. Tentamos entender esse momento com o matemático Geraldo Nunes da Silva, professor do Ibilce/Unesp e pesquisador do CEPID - CeMEAI. Confira:

Publicado por CEPID - CeMEAI em Terça-feira, 31 de março de 2020

"Isolamento é fundamental para controlar o coronavírus", afirma pesquisador

Tiago Pereira, do CeMEAI, analisa números e comenta ações de controle

 

Os números da pandemia do novo coronavírus (COVID-19) ao redor do mundo crescem em uma velocidade impressionante. O distanciamento social é a estratégia mais adotada até aqui. O professor Tiago Pereira, do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP em São Carlos e pesquisador do Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), tem importantes contribuições de como prever doenças a partir da matemática e analisou o protocolo de distanciamento social junto a uma estratégia de isolamento de infectados.

Ele analisou dados divulgados pelo governo no dia 22 de março de 2020, quando eram confirmados cerca de 1500 casos de coronavírus no Brasil, com 18 mortes e 17 mil testes feitos até então, segundo o governo. Utilizando seus modelos matemáticos, Pereira calculou a quantidade de indivíduos infectados que devem ser apropriadamente isolados, assim como o tempo necessário para o diagnóstico. A matemática ajuda a traçar cenários de controle e calcula o número de testes diários para que a doença seja extinta.

Assista ao vídeo sobre a análise e as ações necessárias para o controle da pandemia no país:

 

"Isolamento é fundamental para controlar o coronavírus", afirma pesquisador

O pesquisador Tiago Pereira, do CEPID - CeMEAI e professor do Icmc Usp, tem importantes contribuições de como prever doenças a partir da matemática. Hoje, ele analisou o protocolo de distanciamento social junto a uma estratégia de isolamento de infectados para tentar combater o coronavírus. Confira a análise:

Publicado por CEPID - CeMEAI em Quinta-feira, 26 de março de 2020

 

Sobre o CeMEAI

O Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), com sede no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) financiados pela FAPESP.

O CeMEAI é estruturado para promover o uso de ciências matemáticas como um recurso industrial em três áreas básicas: Ciência de Dados, Mecânica de Fluidos Computacional e Otimização e Pesquisa Operacional.

Além do ICMC-USP, CCET-UFSCar / IMECC-UNICAMP / IBILCE-UNESP / FCT-UNESP / IAE e IME-USP compõem o CeMEAI como instituições associadas.

 

Raquel Vieira e Leonardo Zacarin - Comunicação CeMEAI

 

Mais informações

Assessoria de Comunicação do CeMEAI: (16) 3373-6609

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Pesquisador analisa epidemia do coronavírus

Pesquisador analisa epidemia do coronavírus

Como a matemática pode auxiliar em políticas de controle

 

O que o coronavírus tem a ver com matemática? Se pensarmos que toda epidemia é também um sistema complexo, uma rede que conecta pessoas e dissemina a doença, muita coisa! Por meio de equações e modelos matemáticos, é possível calcular a magnitude de uma epidemia e como ela se comporta entre as pessoas infectadas.

Especialista nessa área, Francisco Rodrigues, professor do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC-USP), tem importantes trabalhos com cooperação internacional que tentam controlar ou minimizar, por meio de modelagem matemática, os impactos de uma epidemia, visando, entre outras aplicações, auxiliar em ações de controles epidemiológicos.

Ele analisou o coronavírus. Confira a entrevista:

 

Pesquisador analisa epidemia do coronavírus

O que o coronavírus tem a ver com matemática? Se pensarmos que toda epidemia é também uma rede que conecta pessoas e dissemina a doença, muita coisa! O professor Francisco Rodrigues, do Icmc Usp e pesquisador do CEPID - CeMEAI, desenvolve trabalhos na área e analisou a mais nova ameaça à saúde mundial. Confira:

Publicado por CEPID - CeMEAI em Terça-feira, 4 de fevereiro de 2020