Portuguese Chinese (Simplified) English French German Italian Japanese Russian Spanish

Ciência e diversão se misturam na 5ª edição do Pint of Science

Ciência de Dados foi o tema de discussão que contou com pesquisadores do CeMEAI

 

Pesquisadores do CeMEAI participam da 5ª edição do Pint of Science

São Carlos foi, mais uma vez, uma das sedes do Pint of Science Brasil. Uma das mesas de discussão falou sobre ciência de dados e contou com dois pesquisadores do CEPID - CeMEAI. Veja como foi!

Publicado por CEPID - CeMEAI em Terça-feira, 28 de maio de 2019

 

Já virou tradição: todo ano, cientistas e públicos de fora da universidade se unem no Pint of Science, evento realizado em bares do mundo todo com a ideia de aproximar cientistas do público em geral. Em São Carlos, uma das mesas de discussão contou com pesquisadores do CeMEAI para falar sobre uma área que vem crescendo muito: a ciência de dados.

"Todos nós estamos produzindo dados hoje em dia: as pessoas, os governos... todo mundo está produzindo uma massa incrível de dados que precisa ser explorada no sentido de extrair conhecimento: o que esses dados estão dizendo? E onde é que pode ajudar no dia a dia o cientista de dados, que vem pra preencher esse nicho que era coberto por profissionais de áreas distintas, como matemáticos, cientistas da computação e estatísticos que atuavam de maneira independente e com ferramentas relativamente distintas umas das outras", explica Luis Gustavo Nonato, professor do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP em São Carlos e pesquisador do Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI).

Nonato foi um dos apresentadores do evento ao lado de outro professor: Moacir Ponti, também do ICMC e pesquisador do CeMEAI, que mostrou um exemplo de como a ciência de dados pode ser utilizada para beneficiar a sociedade.

"Existe uma síndrome que afeta idosos chamada de Síndrome da Fragilidade, que pode ser utilizada pra rastrear idosos em situação de risco. A partir de uma ferramenta computacional, a gente consegue não só classificar os idosos em uma situação não frágil, pre frágil ou frágil, mas também dar indicações para o agente de saúde de como é que aquele idoso em particular tem que ser melhor acompanhado", esclarece.

Gabriela Piton é aluna de química. Parece uma área distante, mas, na verdade, é só mais uma que pode se aproveitar da ciência de dados. "O meu interesse no evento começou pela área de quimiometria, que é uma área da química que estuda o tratamento de dados químicos para entender padrões. Também acho que, de uma maneira geral, é o caso do Big Data, que está presente nosso dia da dia de todas as formas, tanto na química quanto áreas do nosso cotidiano", compara.

A 5ª edição do Pint of Science Brasil teve 85 cidades participantes, tornando o país o recordista do festival em 2019. E é claro que o sucesso do Pint faz com que as expectativas para o ano que vem sejam as melhores possíveis.

"De uma cidade, que foi São Carlos, em 2015 até as mais de 80 cidades que participaram 2019, o evento teve um crescimento bastante grande. Isso indica que a população tem vontade de conhecer a ciência, então o que a gente pode esperar para os próximos anos é um engajamento cada vez maior da sociedade e nós, da academia, tentando melhorar a linguagem com que a gente conversa com a sociedade", finaliza o professor Moacir.

 

Sobre o CeMEAI

O Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), com sede no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) financiados pela FAPESP.

O CeMEAI é estruturado para promover o uso de ciências matemáticas como um recurso industrial em quatro áreas básicas: Otimização Aplicada e Pesquisa Operacional, Mecânica de Fluidos Computacional, Modelagem de Risco, Inteligência Computacional e Engenharia de Software.

Além do ICMC-USP, CCET-UFSCar, IMECC-UNICAMP, IBILCE-UNESP, FCT-UNESP, IAE e IME-USP compõem o CeMEAI como instituições associadas.

 

Leonardo Zacarin - Comunicação CeMEAI

 

Mais informações

Assessoria de Comunicação do CeMEAI: (16) 3373-6609

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Íntegra - Pint of Science: Esporte e Estatística: uma parceria que dá jogo!

 

Um dos temas discutidos no Pint of Science deste ano foi "Esporte e Estatística: uma parceria que dá jogo!". Confira a íntegra do bate-papo:

 

Um dos temas discutidos no Pint of Science Brasil deste ano foi "Estatística e Esporte: Uma parceria que dá jogo!". Confira a íntegra do bate-papo:

Publicado por CEPID - CeMEAI em Quarta, 24 de maio de 2017

Brinde à ciência: Pint of Science lota bares de São Carlos

Estatística e Esporte foi um dos temas que aproximaram os cientistas do público

 

Mais uma vez, o Pint of Science Brasil foi um sucesso! Uma das discussões contou com o pesquisador Francisco Louzada Neto, coordenador de transferência de tecnologia do CEPID - CeMEAI e professor do Icmc Usp. Veja como foi o papo sobre esporte e estatística:

Publicado por CEPID - CeMEAI em Quinta, 18 de maio de 2017

 

Nos dias 15, 16 e 17 de maio cientistas do Brasil e exterior invadiram bares e restaurantes, conectados a um dos maiores eventos de divulgação científica do mundo, que ocorreu simultaneamente em 11 países.

O Pint of Science chegou a 22 cidades brasileiras. Entre as cidades que participaram da iniciativa, 10 são municípios paulistas: Araraquara, Botucatu, Campinas, Piracicaba, Ribeirão Preto, Santos, São Caetano do Sul, São Paulo, São Carlos e Sorocaba. Além disso, o festival foi realizado em cidades localizadas no Sul, no Nordeste e no Centro-Oeste do país: Belo Horizonte (MG), Blumenau (SC), Brasília (DF), Curitiba (PR), Dourados (MS), Florianópolis (SC), Goiânia (GO), Natal (RN), Porto Alegre (RS), Rio de Janeiro (RJ), Salvador (BA) e Teresina (PI).

Nascido em 2013 na Inglaterra, a iniciativa chegou ao país em 2015, quando o Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP realizou o Pint of Science em São Carlos, colocando o Brasil no mapa do evento. Em âmbito nacional, o festival é patrocinado pela Pró-Reitoria de Pesquisa da USP, Verakis, e por cinco Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPID), financiados pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP): o Centro de Pesquisa em Engenharia e Ciências Computacionais (eScience), o Centro de Pesquisa e Inovação em Biodiversidade e Fármacos; o Centro de Pesquisa, Educação e Inovação em Vidros; o Centro de Pesquisa em Obesidade e Comorbidades; e o Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI).

Neste ano, os bares Mosaico, Água Doce Cachaçaria e West Brothers receberam o público para três noites de debates dos mais variados temas científicos.

O iSports, sistema de identificação de talentos esportivos desenvolvido no CEPID-CeMEAI, foi discutido nesta edição do Pint of Science. A ferramenta foi construída sob orientação do professor Francisco Louzada Neto, coordenador de transferência de tecnologia do Centro.

 

Sobre o CeMEAI

O Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), com sede no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) financiados pela FAPESP.O CeMEAI é estruturado para promover o uso de ciências matemáticas como um recurso industrial em quatro áreas básicas: Otimização Aplicada e Pesquisa Operacional, Mecânica de Fluidos Computacional, Modelagem de Risco, Inteligência Computacional e Engenharia de Software.

Além do ICMC-USP, CCET-UFSCar, IMECC-UNICAMP, IBILCE-UNESP, FCT-UNESP, IAE e IME-USP compõem o CeMEAI como instituições associadas.

 

Raquel Vieira - Comunicação CeMEAI

 

Mais informações

Assessoria de Comunicação do CeMEAI: (16) 3373-6609

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

globo

 

Tem um evento internacional rolando que promove a ciência em 10 cidades do estado de São Paulo. Mas nada de professores em sala de aula, laboratórios ultramodernos. É um bate-papo. Uma boa conversa de bar.

 

CLIQUE AQUI para assistir à reportagem!

Íntegra: Pint of Science - Empreendedorismo e universidades: como fazer de São Carlos a capital das startups?

 

A edição de São Carlos do festival Pint of Science, realizado entre os dias 23 e 25 de maio, contou com uma discussão interessante sobre o empreendedorismo entre representantes da Petiko, da Bridge Coworking, do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP) e do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP. Confira a íntegra do evento:

 

A edição de São Carlos do festival Pint of Science Brasil, realizado entre os dias 23 e 25 de maio, contou com uma discussão interessante sobre o empreendedorismo entre representantes da Petiko, da Bridge Coworking, do IFSP - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo e do Icmc Usp. Confira a íntegra do evento:

Publicado por CEPID - CeMEAI em Terça, 7 de junho de 2016

Veja como foi a segunda edição do festival Pint of Science em São Carlos

 

Entre os dias 23 e 25 de maio, São Carlos recebeu, pela segunda vez, o festival Pint of Science, realizado na cidade pelo Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP em São Carlos com o apoio do Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI). A iniciativa tem como objetivo promover debates científicos em bares e restaurantes, ambientes mais descontraídos. Confira como foi o evento:

 

Entre os dias 23 e 25 de maio, São Carlos recebeu, pela segunda vez, o festival Pint of Science Brasil, realizado na cidade pelo Icmc Usp com o apoio do CEPID - CeMEAI. Confira como foi o evento:

Publicado por CEPID - CeMEAI em Quarta, 1 de junho de 2016
Venha brindar a ciência na capital da tecnologia

São Carlos terá nove bate-papos gratuitos em três diferentes bares nas noites dos dias 23, 24 e 25 de maio durante o festival Pint of Science

 

1

 

Sentar na mesa de um bar para uma conversa descontraída sobre a epidemia de Zika, o medo da matemática, o desafio de empreender, a psicologia dos games, as mudanças climáticas, o envelhecimento, a inteligência artificial, a comunicação científica e as ondas gravitacionais. Essa é a proposta do Pint of Science em São Carlos, o festival internacional de divulgação científica que acontecerá em três bares da cidade na próxima semana, durante os dias 23, 24 e 25 de maio.

Realizado pelo Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação da USP, em São Carlos, a iniciativa ocorreu pela primeira vez no Brasil no ano passado. A proposta de levar os cientistas para falar diretamente com o público em um ambiente descontraído deu tão certo que várias pessoas procuraram o Instituto para saber como poderiam promover o festival em suas cidades. Resultado: este ano o Pint of Science espalhou-se para mais seis cidades brasileiras e acontecerá na capital paulista, fluminense, mineira e nas cidades de Ribeirão Preto, Campinas e também em Dourados, no Mato Grosso do Sul.

É como se fosse um grande festival de música, em que os artistas se apresentam simultaneamente em vários palcos a cada noite. Só que, nesse caso, os artistas são os pesquisadores e demais participantes convidados para conversar com o público.

Durante as três noites do evento em São Carlos, o público poderá participar gratuitamente de nove debates que acontecerão em três bares: no Beatniks, no Mosaico e no Vila Brasil. A cada noite, a partir das 19h30, três temas atuais serão discutidos (veja a programação completa abaixo). O evento é gratuito e as pessoas só pagarão o que consumirem nos locais em que ocorrerá cada bate-papo. Como não são realizadas inscrições ou reservas antecipadas, para garantir um lugar é preciso chegar antes das vagas se esgotarem.

Em São Carlos, o evento conta com o apoio do Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) financiados pela FAPESP, e da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Em âmbito nacional, há o patrocínio da Elsevier.

Mais 11 países – Além do Brasil, outros 11 países vão realizar o Pint of Science nos dias 23, 24 e 25 de maio: África do Sul, Alemanha, Austrália, Áustria, Canadá, Espanha, Estados Unidos, França, Inglaterra, Irlanda e Itália. Uma rede global com mais de 100 cidades será construída especialmente para brindar a ciência durante o festival, que começou na Inglaterra em maio de 2013.

A ideia surgiu quando dois pesquisadores do Imperial College London, Michael Motskin e Praveen Paul, organizaram um evento chamado Encontro com pesquisadores em 2012. Nesse encontro, pessoas acometidas por Alzheimer, Parkinson, doenças neuromusculares e esclerose múltipla foram convidadas para conhecer os laboratórios dos pesquisadores e ver de perto o tipo de pesquisa que realizavam. A experiência foi tão inspiradora que os dois decidiram propor um evento em que os pesquisadores poderiam sair de seus laboratórios para conversar diretamente com as pessoas. Nasceu, assim, o Pint of Science, que rapidamente se espalhou pelo mundo.

 
Texto: Denise Casatti – Assessoria de Comunicação do ICMC
Foto: Paulo Arias
 
pos
 
Mais informações
Site do Pint of Science: www.pintofscience.com.br
Youtube: icmc.usp.br/e/ff8f8
 

Contato para esta pauta

Assessoria de Comunicação do ICMC: (16) 3373.9666
E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

 

PROGRAMAÇÃO DO PINT OF SCIENCE EM SÃO CARLOS

 

Segunda-feira, 23/05, às 19h30

 

Terça-feira, 24/05, às 19h30

  • Os games na psicologia e a psicologia dos games. Onde: Beatniks.
  • Envelhecimento: o que acontece com o nosso corpo e como a tecnologia poderá nos ajudar. Onde: Mosaico.
  • Vacas, puns, arrotos e seus efeitos sobre o planeta. Onde: Vila Brasil.

 

Quarta-feira, 25/05, às 19h30 

  • Meu emprego, minha vida: o que muda na era da Inteligência Artificial. Onde: Beatniks.
  • Surfando nas ondas gravitacionais. Onde: Mosaico.
  • Ciência com cor e sabor: comunicação científica, jornalismo literário e suas possibilidades. Onde: Vila Brasil.

Veja como foi a participação do CeMEAI no Pint of Science

Entre os dias 18 e 20 de maio, a cidade de São Carlos foi uma das sedes do Pint of Science, festival internacional de divulgação científica que ocorreu simultaneamente no Reino Unido, na Irlanda, na França, na Itália, nos Estados Unidos, na Austrália, na Espanha, na Alemanha e, pela primeira vez, no Brasil. Confira como foi a participação do Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CEPID-CeMEAI) no evento!

 

Veja também: Inovação e ciências matemáticas no Pint of Science 2015

Imagens e edição de imagens - Leonardo Zacarin

Assessoria de Comunicação - CeMEAI

 

Edição de texto - Carla Monte Rey

Assessoria de Comunicação - CeMEAI

Inovação e ciências matemáticas no Pint of Science 2015

CEPID-CeMEAI discutiu essa temática no Festival Internacional de Divulgação Científica

Francisco Louzada Neto, pesquisador do CeMEAI, foi o mediador do evento

 

Quarta-feira, sete e meia da noite. Aos poucos, o espaço do Mosaico Restaurante, no centro de São Carlos vai ganhando público. E fica lotado. Gente que chega para prestigiar uma das últimas mesas-redondas do Pint of Science 2015, evento internacional de divulgação científica realizado pela primeira vez no Brasil, por iniciativa do ICMC – Instituto de Ciências Matemáticas e da Computação. Foram seis mesas-redondas ao todo, em locais mais descontraídos, como restaurantes e bares. Tudo para aproximar pesquisadores, empresários e a comunidade em geral.

Quem coordenou o bate-papo foi o pesquisador Francisco Louzada, também coordenador de transferência tecnológica do CEPID-CeMEAI – Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria. Além de Louzada, cinco convidados falaram sobre o tema: José Alberto Cuminato – diretor do CEPID-CeMEAI, Edson Leite – coordenador de transferência tecnológica do Centro de Desenvolvimento de Materiais Funcionais (da UFSCar), Eduardo Brito – agente de inovação e analista administrativo da Agência USP de Inovação, Emiliano Valério -  diretor da empresa Stepwise, de consultoria estatística, e Euclides Matheucci Jr., diretor da DNA Consult Genética e Biotecnologia.

Francisco Louzada falou de inovação, palavra que vem do latim (innovare) e está relacionada à mudanças, ao redescobrir sempre. E a Matemática onde entra nisso? O tempo todo. “Desde que acordamos temos a matemática no despertador, conseguimos programar um tempo pra tomar um café, depois recebemos pela tv informações como as estatísticas de crimes, resultados de jogos etc”, ressaltou.  

A estrutura do CeMEAI também foi reforçada: funciona como uma ponte entre a universidade e a comunidade. “Há um problema industrial, há uma análise, teorização e proposição de solução desse problema, depois um treinamento dos profissionais envolvidos para assimilação dos resultados e por fim a transferência assistida de tecnologia”. Também foram exemplificados os trabalhos do CeMEAI junto às indústrias da área da saúde, projetos de detecção de talentos esportivos, modelagem estatística para detecção de fraudes, e trabalhos junto à empresas petrolíferas, de móveis e de produção de frangos. São apenas alguns dos cerca de 50 projetos do Centro. Parcerias com mais de 30 empresas.

Foram citados ainda pelo professor a Clínica Matemática, já em prática auxiliando por meio das ciências matemáticas as empresas na solução rápida de problemas, e o MECAI – Mestrado Profissional em Matemática, Estatística e Computação aplicadas à Indústria, voltado para a formação de pesquisadores aptos a identificar problemas complexos no setor empresarial por meio de uso eficiente e crítico de métodos matemáticos, estatísticos e de computação. Este ano o mestrado teve 151 inscritos. Louzada explicou que a ideia do CEPID ganhou ainda mais força com o professor José Alberto Cuminato, atual diretor do CeMEAI. “O símbolo do CeMEAI é uma espécie de semente conectada a uma engrenagem em formato de flor, fazendo alusão a semear as ciências matemáticas, levando-as às industrias”, disse ele.

Países desenvolvidos são países que inovaram em ciências matemáticas

José Alberto Cuminato, falou sobre a realidade do Brasil e de outros países em desenvolvimento em relação às ciências matemáticas. “Elas têm geralmente histórico acadêmico. Se perguntarmos aos alunos o que esperam da formação em matemática muitos dirão que pretendem ser professores ou no máximo professores universitários. Os nossos próprios alunos não esperam ter um emprego em um banco. E isso tá mudando, porque as necessidades vão aparecendo e tudo muda.  Se a matemática é um mistério, eu diria que nenhuma sociedade se desenvolveu sem levar em conta as ciências matemáticas. Pra sermos um país em desenvolvimento, teremos que passar pela matemática como uma ferramenta de produção. O desenvolvimento depende disso”, explicou Cuminato. O principal ponto de inovação, segundo ele, é convencer as pessoas da importância disso, o que não é simples. “Muitos pensam que é um xadrez: você pensa, decora e pronto. Ninguém pensa que o celular só funciona porque existem alguns teoremas. A maioria das inter-relações de seguros, empréstimos, só funciona porque existem as ciências matemáticas.” Finalizou deixando a mensagem de que as ciências matemáticas tem que ir além do jogo, tem que apresentar consequências. Sem tecnologia não teríamos luzes acesas, cerveja gelada. A matemática é uma parte integrante de tudo. Não pode ser uma linguagem isolada, que serve pra deixar o pessoal doido e atrapalhar a vida das pessoas”, concluiu o diretor do CeMEAI.

Empresas necessitam da matemática mais do que imaginam

Foi com a ideia de que as empresas necessitam das ciências matemáticas que o biólogo de formação e empresário Euclides Matheucci Jr. continuou a conversa no restaurante. E deu o próprio exemplo pra ilustrar a realidade. “Eu trabalho com uma tecnologia nova, que é genômica. As ideias inovadoras são interdisciplinares e a matemática é isso. Eu sou biólogo formado pela USP de Ribeirão Preto e comecei a minha empresa em 1996 com sequenciamento de DNA. Até a alguns anos eu tirava o sangue, tratava os dados e emitia um laudo. Hoje é impossível fazer isso porque em cada gerenciamento geram-se muitos dados. Preciso de uma matemática robusta pra me ajudar. Isso é muito claro no meu trabalho no dia-a-dia. Fico feliz e orgulhoso de ter uma iniciativa assim do CEPID que traz respaldo ao meu trabalho”.  O empresário disse ainda que tem certeza de que o CEPID-CeMEAI vai trazer um ganho enorme de qualidade às empresas.

Mais parcerias, menos burocracia

Eduardo Brito, agente de inovação e analista administrativo da Agência USP de Inovação falou das palavras “parceria” e “produto”. Disse que a agência de inovação tem como estreitar os laços para que essas parcerias gerem cada vez mais produtos. Explicou que a agência está com a universidade para facilitar a formação dessa parceria, dessa formalização. Falou do lançamento do portal de convênios, que já foi implantado e diminuiu a burocracia entre os pesquisadores e as empresas. “Ganha-se agilidade. A agência quer ser parceira, facilitadora. E vocês podem contar com nosso apoio”, finalizou Brito.

Inovar é ter profissionais preparados para resolver problemas nas empresas

Edson Leite, coordenador de transferência tecnológica do CEPID-CDMF (UFSCar) falou também de sua experiência nos últimos 11 anos no centro. “Às vezes a ciência é bem feita, mas falha-se na inovação. Então tentamos traçar uma estratégia diferente, com o CEPID sendo nucleador de novas tecnologias. Criamos dentro do nosso CEPID um órgão pra gerar empresas e tecnologias. Temos a área física e equipamentos, vamos instalar a planta-piloto para as empresas usarem. A proposta do CEPID-CeMEAI da USP é inovadora. Tem que haver pessoas que se dediquem dentro da empresa pra que a inovação dê certo. Às vezes a conversa é muito difícil, principalmente quando se trata da matemática, Acredito que seja um dos maiores desafios de vocês. Achei interessante o MECAI temático e acredito que este vai ser o caminho: criar recursos humanos para a indústria fornecendo corpo técnico qualificado. Esta é a mensagem que deixo”, concluiu o pesquisador.

Ciências Matemáticas além dos portões da universidade e dos bancos

Emiliano Valério foi aluno da Estatística da UFSCar. E hoje está à frente de uma empresa de consultoria na área. O empresário foi aluno do professor Louzada e trabalhou 12 anos no setor financeiro. “O que percebemos é que as ciências matemáticas no setor financeiro já foram bem exploradas. Estão muito bem inseridas nos bancos, nas seguradoras. Percebo que falta estatística em outros setores, e é uma oportunidade grande delas atenderem estes setores. A questão da inovação não vem muito das empresas. Geralmente nasce e fica dentro da academia. Por isso é fundamental que as indústrias se aproximem da universidade; por outro lado a universidade tem que se voltar ao empreendedorismo, formando profissionais que saibam montar o próprio negócio, que entendam do tema”, ressaltou Valério.

Depois de uma hora e vinte minutos de apresentações e ponderações, as pessoas que estavam presentes também puderam fazer perguntas e tirar as dúvidas sobre o tema. Enquanto isso, universitários ligados a projetos do CEPID-CeMEAI apresentavam nas mesas alguns dos trabalhos desenvolvidos. São iniciativas que já deram resultado, como o software que detecta talentos esportivos, o iSport, implantado em escolinhas de futebol.

Além de universitários e professores do Instituto de Ciências Matemáticas e da Computação e do Departamento de Estatística da UFSCar, também estiveram presentes pessoas que não são da área. Vieram pela curiosidade. Maysa Marinho Ramos é pedagoga, e aproveitou que o marido ia ao evento pra acompanhá-lo. “Acredito que as ciências matemáticas devam sim ultrapassar o universo acadêmico. Como todos eles disseram, a gente precisa muito da Matemática”, comentou ela. Também assistiram ao bate-papo comerciantes da cidade e até uma funcionária do Departamento de Artes de uma Universidade de Salvador, que estava na cidade visitando o filho, estudante da USP.

Antes mesmo do evento terminar, a organização do Pint of Science divulgou que outras cidades se interessaram em replicar essa inciativa. E que o evento já está confirmado para o próximo ano.

Veja como foi a participação do CeMEAI no Pint of Science!

Sobre o Pint of Science

O evento surgiu em 2012 em Londres, quando dois cientistas do Imperial College of London (Michael Motskin e Praveen Paul) organizaram um encontro de pesquisadores. Eles reuniram pessoas portadoras do mal de Parkinson e do Alzheimer, porque pesquisam as doenças e gostariam de compartilhar os estudos com a comunidade. Como o encontro teve repercussão, eles o batizaram de Pint of Science e passaram a realizar anualmente pra aproximar cientistas da população.  

Sobre o CeMEAI

O Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), com sede no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) financiados pela FAPESP. O CeMEAI é especialmente adaptado e estruturado para promover o uso de ciências matemáticas (em particular matemática aplicada, estatística e ciência da computação) como um recurso industrial.

As atividades do Centro são realizadas dentro de um ambiente interdisciplinar, enfatizando-se a transferência de tecnologia e a educação e difusão do conhecimento para as aplicações industriais e governamentais. As atividades são desenvolvidas nas áreas de Otimização Aplicada e Pesquisa Operacional, Mecânica de Fluidos Computacional, Modelagem de Risco, Inteligência Computacional e Engenharia de Software. 

Além do ICMC, o CEPID-CeMEAI conta com outras cinco instituições associadas: o Centro de Ciências Exatas e Tecnologia da Universidade Federal de São Carlos (CCET-UFSCar); o Instituto de Matemática Estatística e Computação Científica da Universidade Estadual de Campinas (IMECC-UNICAMP); o Instituto de Biociências Letras e Ciências Exatas da Universidade Estadual Paulista (IBILCE-UNESP); a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Estadual Paulista (FCT-UNESP); o Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE); e o Instituto de Matemática e Estatística da Universidade de São Paulo (IME-USP).

Texto: Carla Monte Rey - Assessoria CEPID-CeMEAI

Foto: Leonardo Zacarin – Assessoria CEPID-CeMEAI

Mais informações

Assessoria de Comunicação do CeMEAI: (16) 3373-6609

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

CEPID-CeMEAI marca presença no Pint of Science

Coordenador de Transferência Tecnológica do Centro comandará mesa sobre inovação e ciências matemáticas

Entre os dias 18 e 20 de maio, a cidade de São Carlos será uma das sedes do Pint of Science, festival internacional de divulgação científica que ocorre simultaneamente no Reino Unido, na Irlanda, na França, na Itália, nos Estados Unidos, na Austrália, na Espanha, na Alemanha e, pela primeira vez, no Brasil.

O Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CEPID-CeMEAI) participará do evento, que tem como objetivo divulgar a ciência de um modo mais informal e divertido. A mesa de discussão do CeMEAI terá como tema a inovação em ciências matemáticas.

Ao lado de Francisco Louzada, coordenador de transferência tecnológica do CeMEAI e organizador da mesa, outras cinco autoridades no assunto discutirão como as ciências matemáticas podem ajudar a resolver os problemas das empresas e contribuir para promover a inovação no Brasil e como os desafios enfrentados pelas empresas podem levar as ciências matemáticas a evoluírem.

Os convidados da mesa do CeMEAI são o coordenador de transferência tecnológica do Centro de Desenvolvimento de Materiais Funcionais (CEPID-CDMF), Edson Leite, o agente de inovação e analista administrativo da Agência USP de Inovação, Eduardo Brito, o diretor da Stepwise, Emiliano Valério, o diretor da DNA Consult Genética e Biotecnologia, Euclides Matheucci Jr, e o diretor do CeMEAI, José Alberto Cuminato.

O público, além de assistir à mesa de conversas, também poderá participar do evento. Os pesquisadores envolvidos responderão a perguntas, abrirão espaço para comentários de quem quiser fazer parte da discussão e mostrarão, com exemplos, como seu trabalho funciona na prática.

A mesa do CeMEAI no Pint of Science será realizada na quarta-feira, dia 20, no restaurante Mosaico, que fica na rua Aquidaban, 1342. O evento tem início previsto para as 20h. Mais informações podem ser encontradas no site: www.pintofscience.com.br.

 

Sobre o CeMEAI

O Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), com sede no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) financiados pela FAPESP. O CeMEAI é especialmente adaptado e estruturado para promover o uso de ciências matemáticas (em particular matemática aplicada, estatística e ciência da computação) como um recurso industrial. As atividades do Centro são realizadas dentro de um ambiente interdisciplinar, enfatizando-se a transferência de tecnologia e a educação e difusão do conhecimento para as aplicações industriais e governamentais. 

As atividades são desenvolvidas nas áreas de Otimização Aplicada e Pesquisa Operacional, Mecânica de Fluidos Computacional, Avaliação de Risco, Inteligência Computacional e Engenharia de Software. 

Além do ICMC, o CEPID-CeMEAI conta com outras cinco instituições associadas: o Centro de Ciências Exatas e Tecnologia da Universidade Federal de São Carlos (CCET-UFSCar); o Instituto de Matemática Estatística e Computação Científica da Universidade Estadual de Campinas (IMECC-UNICAMP); o Instituto de Biociências Letras e Ciências Exatas da Universidade Estadual Paulista (IBILCE-UNESP); a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Estadual Paulista (FCT-UNESP); o Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE); e o Instituto de Matemática e Estatística da Universidade de São Paulo (IME-USP).

Texto: Leonardo Zacarin - Comunicação CeMEAI

 

Mais informações

Assessoria de Comunicação do CeMEAI: (16) 3373-6609

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Página 1 de 2