ptzh-CNenfrdeitjarues

App Pandemic Stats BE é desenvolvido com apoio dos pesquisadores do CeMEAI

Dispositivo tem análises sobre a pandemia e tecnologia baseadas no Info Tracker

 

App3     App2

 

De um estágio virtual, nasceu o app Pandemic Stats BE. Nele, é possível encontrar dados diferentes sobre a pandemia atual da Covid-19, numa parceria Brasil/Bélgica que teve início quando o pesquisador Cassio Oishi, do Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas a Industria (CeMEAI) e professor da Unesp/Presidente Prudente, orientou os alunos Thibault Magnini e Jonas De Boeck, da UC Leuven-Limburg (UCLL).

Cassio explica que a orientação do estágio teve foco no estudo de tópicos em Matemática Computacional, e logo a seguir, os alunos estagiários iniciaram os trabalhos sobre dados e projeções da COVID-19 nas diferentes províncias da Bélgica. “Os dados são obtidos usando as atualizações diárias dos institutos de saúde. Além dos dados intocados, é possível encontrar resultados do processamento desses dados usando modelos matemáticos e algoritmos de IA para fornecer a gravidade da pandemia em diferentes províncias da Bélgica. Como resultado final da orientação, os alunos criaram um website e depois, avançaram no desenvolvimento do App”, explicou.

O professor disse ainda que a ideia era facilitar o acompanhamento da pandemia no país dos estudantes e que para isso, a metodologia matemática e as técnicas de inteligência artificial adotadas no aplicativo foram adaptadas da plataforma Info Tracker, desenvolvida pelo professor Wallace Casaca (Unesp/Rosana), em colaboração com o mestrando Fabio V.G. Amaral (FCT/Unesp).

“Atualmente estamos adaptando os dados da plataforma Info Tracker, em parceria com os alunos belgas, para adaptar o Pandemic Stats BE na criação de um App para os dados do Brasil”.  O pesquisador Cassio acredita que a versão do App com os dados do estado de São Paulo deve ser testada ainda esse mês.

 

Sobre o CeMEAI

O Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), com sede no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) financiados pela FAPESP.

O CeMEAI é estruturado para promover o uso de ciências matemáticas como um recurso industrial em três áreas básicas: Ciência de Dados, Mecânica de Fluidos Computacional e Otimização e Pesquisa Operacional.

Além do ICMC-USP, CCET-UFSCar / IMECC-UNICAMP / IBILCE-UNESP / FCT-UNESP / IAE e IME-USP compõem o CeMEAI como instituições associadas.

 

Raquel Vieira – Comunicação CeMEAI

 

Mais informações

Assessoria de Comunicação do CeMEAI

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

cnn

 

Dados da plataforma Info Tracker desenvolvida pela USP (Universidade de São Paulo) e UNESP (Universidade Estadual Paulista) mostra que a taxa de transmissão da Covid-19 está em 1,21 no país. Isso significa que uma pessoa contaminada pode disseminar o vírus para mais de uma pessoa.

Além de analisarem a situação do Brasil na pandemia, os dados também verificam cada uma das regiões do país.

 

CLIQUE AQUI para assistir à reportagem!

istoe dinheiro

 

O estudo, da Universidade de São Paulo (USP) e da Universidade Estadual Paulista (UNESP), aponta que 60 mil mortes poderiam ter sido evitadas nos últimos três meses caso o ritmo de vacinação fosse mais acelerado no Brasil. A projeção foi feita através de dados reais do Programa Nacional de Imunização (PNI) contra a covid-19 do primeiro trimestre do ano.

 

CLIQUE AQUI para ler a reportagem completa!

TV Cultura logo

 

A pesquisa foi feita pela Universidade de São Paulo e pela Universidade Estadual Paulista. O estudo se baseou em dados reais de vacinação do Brasil no primeiro trimestre.

 

CLIQUE AQUI para assistir à reportagem!

TV Cultura logo

 

A pesquisa realizada pela USP em parceria com a UNESP apontou que 20 mil vidas poderiam ter sido salvas a cada mês caso fossem aplicadas 2 milhões de doses das vacinas por dia.

 

CLIQUE AQUI para assistir à reportagem!

uol

 

Caso o Brasil ampliasse para 2,5 milhões de doses de vacinas contra a covid-19 aplicadas por dia, um total de 28,666 vidas serão salvas até o início de setembro. Os dados foram apresentados em um estudo inédito, realizado pela Unesp (Universidade Estadual de São Paulo) em parceria com a USP (Universidade de São Paulo), ao qual o UOL teve acesso.

 

CLIQUE AQUI para ler a reportagem completa!

extra

 

Um estudo da Universidade de São Paulo e da Universidade Estadual Paulista, que o Jornal Hoje obteve com exclusividade, mostra que se o Brasil ampliasse para dois milhões de doses de vacinas aplicadas por dia, 20 mil vidas seriam salvas todo mês.

O estudo aponta que 60 mil mortes poderiam ter sido evitadas nos últimos três meses caso o ritmo de vacinação fosse mais acelerado.

 

CLIQUE AQUI para ler a reportagem completa!

Jornal Hoje

 

Um estudo da Universidade de São Paulo e da Universidade Estadual Paulista, que o Jornal Hoje obteve com exclusividade, mostra que se o Brasil ampliasse para dois milhões de doses de vacinas aplicadas por dia, 20 mil vidas seriam salvas todo mês.

O estudo aponta que 60 mil mortes poderiam ter sido evitadas nos últimos três meses caso o ritmo de vacinação fosse mais acelerado.

 

CLIQUE AQUI para ler a reportagem completa!

ag fapesp logo alt

 

Pesquisadores do Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI) desenvolveram a ferramenta Info Tracker, que permite monitorar o avanço da COVID-19 e utiliza matemática e inteligência artificial para projetar o número de infecções, óbitos e pacientes recuperados no Estado de São Paulo e demais regiões do Brasil.

 

CLIQUE AQUI para ler a reportagem completa!

folha

 

A matemática e a ciência endossaram a afirmação de muitos especialistas: o lockdown, criticado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), é eficaz no controle da pandemia de Covid-19.

Pesquisadores da plataforma SP Covid-19 Info Tracker, da USP e da UNESP, desenvolveram um estudo comparativo que mostra a evolução de casos, óbitos e internações de Araraquara, que fez lockdown permanente, com São Carlos, ambas no interior paulista.

 

CLIQUE AQUI para ler a reportagem completa!

Página 1 de 11