Portuguese Chinese (Simplified) English French German Italian Japanese Russian Spanish

Assistente virtual para gestantes

Assistente virtual para gestantes

Notícias Relacionadas

Pesquisadores

Gleici da Silva Castro Perdoná

Este projeto tem como objetivo desenvolver um assistente virtual, em língua portuguesa, com exemplos de funcionalidades de gestão da saúde para monitoramento de medida da Atividade Física para gestantes atendidas pelo SUS na cidade de Ribeirão Preto-SP.

Projeto apoiado pelo CeMEAI com gestantes é selecionado em chamada do SUS

Coordenado por Gleici Perdoná, estudo auxilia com instrumento que mede a atividade física

 

frame gleici

 

 

O projeto “Assistente virtual para gestantes: acompanhamento da atividade física”, que tem o apoio do Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI) e é coordenado pela Professora Gleici da Silva Castro Perdoná, da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP-USP), foi uma das 15 propostas selecionadas pelo Governo do Estado de São Paulo, por intermédio da FAPESP, em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, o Ministério da Saúde (MS) e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), para o Programa de Pesquisa para o SUS: Gestão Compartilhada em Saúde – PPSUS.

Lançada em dezembro de 2018, a chamada visa apoiar atividades de pesquisa, mediante o aporte de recursos financeiros a projetos que promovam o desenvolvimento científico, tecnológico ou de inovação da área de saúde visando ao fortalecimento do Sistema Único de Saúde (SUS) no estado de São Paulo.

A chamada contempla três grandes eixos e linhas temáticas, considerados áreas prioritárias: Redução da morbimortalidade por doenças e agravos prioritários no Estado de São Paulo; Gestão de Sistemas de Saúde e Tecnologia e inovação no SUS.

O trabalho coordenado por Gleici está relacionado ao terceiro item, no tema “Incorporação de tecnologias de comunicação na saúde (incluindo tecnologias móveis)” na linha temática: “Pesquisa aplicada de campo com fins tecnológicos”.

“Este projeto tem como objetivo desenvolver um assistente virtual, em língua portuguesa, com exemplos de funcionalidades de gestão da saúde para monitoramento de medida da Atividade Física para gestantes atendidas pelo SUS na cidade de Ribeirão Preto-SP”, explicou Gleici.

Segundo a pesquisadora, os métodos utilizados serão desenvolvidos em duas etapas. “Essas etapas incluem a construção de instrumento indireto (questionário) para quantificar a atividade física e a construção do assistente virtual para o monitoramento e validação do instrumento tipo acelerômetro”.

“Esse estudo se justifica pela ausência de um instrumento válido no Brasil voltado especificamente para gestantes brasileiras atendidas pelo SUS, o que dificulta para os profissionais de saúde quantificar realmente o nível de atividade física nessa população. Portanto, é importante a construção de instrumentos que possam caracterizar como uma determinada população (gestantes atendidas pelo SUS) se encontra em termos de Atividade Física (sedentária ou ativa) para poder definir possíveis fatores de risco para desfechos na gravidez de forma a contribuir para melhoria da saúde da mulher e do bebê”, esclareceu.

“Esse projeto aprovado envolve uma importante interface entre a tecnologia e a saúde. Agradeço a colaboração e apoio do CEPID/CEMEAI para as pesquisas nesta área que teve papel fundamental para alcançar mais este resultado positivo”.

Gleici tem outras pesquisas que usam estatística para reduzir mortalidade materna e perinatal.

 

Sobre o CeMEAI

O Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), com sede no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) financiados pela FAPESP.

O CeMEAI é estruturado para promover o uso de ciências matemáticas como um recurso industrial em três áreas básicas: Ciência de Dados, Mecânica de Fluidos Computacional e Otimização e Pesquisa Operacional.

Além do ICMC-USP, CCET-UFSCar / IMECC-UNICAMP / IBILCE-UNESP / FCT-UNESP / IAE e IME-USP compõem o CeMEAI como instituições associadas.

 

Raquel Vieira - Comunicação CeMEAI

 

Mais informações

Assessoria de Comunicação do CeMEAI: (16) 3373-6609

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

CeMEAI é apresentado em Escola de Modelos de Regressão

Cinco pesquisadores participaram de Sessão Temática no evento da ABE

 

DSCN6677 3  DSCN6215 2 

 

Cinco pesquisadores da área de Análise de Risco do Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI) participaram de uma Sessão Temática da Escola de Modelos de Regressão (EMR) 2019, que ocorreu no município de Pirenópolis-GO.

Segundo o coordenador da Sessão temática, denominada Inovação e Transferência de Tecnologia em Estatística, e Coordenador de Transferência Tecnológica do CEPID-CeMEAI, Francisco Louzada Neto, foram apresentadas aos participantes as atividades que são desenvolvidas pelo Centro, suas áreas de atuação, e cada pesquisador falou sobre os trabalhos desenvolvidos em temas específicos.

Gleici da Silva Castro Perdoná (FMRP - USP) falou sobre modelos para progressão do primeiro estágio do trabalho de parto espontâneo. Julio Michael Stern (IME- USP) de um trabalho de avaliação da aleatorização em distribuições de casos: análise de caso do Supremo Tribunal Federal. Um estudo de caso da amostragem intencional fortuita na definição de redes de monitoramento atmosférico foi o tema de Marcelo de Souza Lauretto (EACH–USP). E Nikolai Kolev (IME-USP) discutiu sobre modelos de regressão tipo Marshall-Olkin Bivariados.

“Esse é um evento muito importante na área de Estatística que conta com a organização da Associação Brasileira de Estatística (ABE) e reúne especialistas de todo país para discutir os avanços da modelagem estatística em várias áreas do conhecimento. Apresentar o CeMEAI a este público e mostrar os trabalhos dos pesquisadores que representam o Centro nesta área foi bastante oportuno”, comentou Louzada.

A Escola de Modelos de Regressão (EMR) está em sua 16ª edição. A cada biênio a EMR tem sido realizada em um Estado brasileiro. O evento reúne em torno de 350 participantes ao longo de 3 dias de intensas atividades. Tem participação de professores e pesquisadores nacionais e internacionais de Universidades e Instituições de Ensino Superior, profissionais do mercado, alunos de graduação e pós-graduação de diversas áreas do conhecimento: tecnologia, educação, saúde, finanças, economia, marketing, entre outras.

 

Sobre o CeMEAI

O Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), com sede no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) financiados pela FAPESP.

O CeMEAI é estruturado para promover o uso de ciências matemáticas como um recurso industrial em quatro áreas básicas: Otimização Aplicada e Pesquisa Operacional, Mecânica de Fluidos Computacional, Modelagem de Risco, Inteligência Computacional e Engenharia de Software.

Além do ICMC-USP, CCET-UFSCar, IMECC-UNICAMP, IBILCE-UNESP, FCT-UNESP, IAE e IME-USP compõem o CeMEAI como instituições associadas.

 

Raquel Vieira - Comunicação CeMEAI

 

Mais informações

Assessoria de Comunicação do CeMEAI: (16) 3373-6609

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Pesquisa usa estatística para reduzir mortalidade materna e perinatal

Trabalho internacional tem colaboração da pesquisadora Gleici Perdoná

 

Um trabalho desenvolvido em colaboração com a professora Gleici da Silva Castro Perdoná, do Departamento de Medicina Social (DMS), da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da USP visa reduzir a mortalidade materna e perinatal no mundo.

Como parte do projeto Better Outcomes in Labour Difficulty (BOLD) da Organização Mundial da Saúde, a pesquisa já se torna uma referência no que se refere a uma nova ferramenta de monitoramento de parto e foi publicada no início deste ano na revista científica americana PLOS Medicine, com fator de impacto 14,429.

Entenda melhor o trabalho que conta com apoio do do Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI):

 

Pesquisa usa estatística para reduzir mortalidade materna e perinatal

A professora Gleici Perdoná, da FMRP USP e pesquisadora do CEPID - CeMEAI, faz parte de uma pesquisa que busca reduzir a mortalidade materna e perinatal no mundo todo. Conheça melhor o trabalho:

Publicado por CEPID - CeMEAI em Quarta-feira, 25 de abril de 2018

Experiências são compartilhadas na RBras realizada em Salvador

Tese de doutorado desenvolvida com apoio do CeMEAI é premiada

 

IMG 9725IMG 9781

 

Foi realizada entre os dias 23 e 25 de maio, em Salvador, na Universidade Federal da Bahia, a 61ª Reunião Anual da Região Brasileira da Sociedade Internacional de Biometria (RBras). O evento reúne pesquisadores do Brasil e do exterior que empregam a Estatística na tomada de decisões e tem, entre os objetivos, o de promover intercâmbios multidisciplinares e discutir o processo de ensino-aprendizagem das técnicas estatísticas e de análise de dados. Neste ano, o foco da Reunião foi o tema “Biometria e Bioestatística na Era de Big Data” e a programação, dividida em minicursos, tutoriais, sessões temáticas, comunicações orais e em pôster.

Os pesquisadores do CEPID-CeMEAI Francisco Louzada Neto e Gleici da Silva Castro Perdoná participaram das sessões temáticas. No caso de Louzada, as experiências compartilhadas foram sobre o projeto de Sistema de Gestão de Resíduos Sólidos (SIGERES). “Hoje em dia, mais de 165 milhões de pessoas, 85% dos brasileiros, vivem em cidades. As questões relacionadas com a gestão de resíduos sólidos urbanos é uma importante preocupação, especialmente tendo em conta a necessidade de promover a logística reversa de diferentes materiais dispostos, a fim de promover a conservação dos recursos naturais, saúde humana, saúde ambiental, contribuindo com a implementação de políticas públicas. O Sistema desenvolvido, permite o estudo da geração e da composição gravimétrica dos resíduos”, explica o pesquisador.

Já a pesquisadora Gleici falou sobre modelagem de sobrevivência para a previsão de intervenções intraparto. “Para modelar este processo foi proposto um modelo de multi estados onde os estados são considerados como intervenções. Nosso modelo é então incorporado em um simplificado, eficaz, Assistente de Monitoramento do Trabalho (SELMA), ferramenta baseada na Web, para o monitoramento do trabalho de parto e que simplifica e apoia profissionais de saúde na tomada de decisões”.

Os pesquisadores Marinho Gomes Filho e Katiane Conceição também participaram do evento.

Tese de doutorado é premiada

A tese do ex-aluno de doutorado do professor Francisco Louzada Neto, Paulo Henrique Ferreira, foi premiada na RBras. Intitulada Multivariate Copula-based SUR Tobit Models: A Modified Inference Function for Margins and Interval Estimation, a tese considera os chamados modelos SUR (da expressão Seemingly Unrelated Regression) Tobit multivariados e estende a análise de tais modelos ao empregar funções de cópula para modelar estruturas com dependência não linear. Na tese, é proposto um novo procedimento de estimação para os parâmetros do modelo. Aplicações da metodologia desenvolvida incluem estudos diversos, como agronômicos, nutricionais e financeiros.

 

Sobre o CeMEAI

O Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), com sede no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) financiados pela FAPESP.

O CeMEAI é estruturado para promover o uso de ciências matemáticas como um recurso industrial em quatro áreas básicas: Otimização Aplicada e Pesquisa Operacional, Mecânica de Fluidos Computacional, Modelagem de Risco, Inteligência Computacional e Engenharia de Software.

Além do ICMC-USP, CCET-UFSCar, IMECC-UNICAMP, IBILCE-UNESP, FCT-UNESP, IAE e IME-USP compõem o CeMEAI como instituições associadas.

 

Texto: Raquel Vieira - Comunicação CeMEAI

Fotos: Leonardo Zacarin - Comunicação CeMEAI

 

Mais informações

Assessoria de Comunicação do CeMEAI: (16) 3373-6609

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Projeto para diminuir índices de mortalidade materna e neonatal tem participação de pesquisadores do CeMEAI

O “SELMA” foi implantado em países africanos e usa a estatística para monitorar ações durante o trabalho de parto

 

O nome é de mulher e o projeto é para elas. Dez mil gestantes, selecionadas em unidades de saúde da Nigéria e de Uganda, participam de uma iniciativa que pretende melhorar a qualidade do serviço oferecido no trabalho de parto, tanto no que se refere aos procedimentos utilizados pelos profissionais de saúde quanto aos cuidados disponibilizados em relação às parturientes. O SELMA, sigla inglesa de Simplified, Effective, Labour Monitoring to Action (Ferramenta simples e efetiva para o monitoramento de ações no parto) é parte de um programa maior, o BOLD – Better Becomes in Labour Difficulty (Melhores Desfechos para dificuldades no trabalho de parto) e é um dos projetos em andamento ligados à Organização Mundial de Saúde. O programa tem como patrocinadora a Bill and Melinda Gates Foundation, uma das maiores fundações sem fins lucrativos que apoiam iniciativas para melhoria da qualidade de vida da população.

No Brasil, o SELMA é desenvolvido desde 2013 na Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da USP e tem participação de uma pesquisadora do Centro de Pesquisa, Inovação e Difusão em Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CEPID-CeMEAI): a professora Gleici da Silva Castro Perdoná. Ela integra uma equipe multidisciplinar do Departamento de Medicina Social, que conta também com bioinformatas, psicólogos, ginecologistas, obstetras e outros profissionais. A equipe de Gleici é a responsável pelo desenvolvimento de modelos estatísticos para a predição de diferentes desfechos que podem ocorrer durante o parto. “Nosso primeiro objetivo é fazer a identificação, sabermos com antecedência por meio de modelos estatísticos o que contribui para um desfecho ruim no parto, que poderia ser o bebê com alguma deficiência grave de longa duração ou mesmo a morte do recém-nascido. Diminuir essa mortalidade é um dos objetivos”, explica a pesquisadora.

Um dos ginecologistas-obstetras que fazem parte do SELMA é João Paulo Souza, também da USP em Ribeirão Preto. Souza acredita que, apesar de a pesquisa demandar um suporte tecnológico considerável e ser realizada em países em desenvolvimento, o programa não terá problemas. “Uma vez desenvolvida, a ferramenta deverá requerer possivelmente um tablet. Como toda inovação, antes da liberação para uso entraremos em uma fase de testes, o que demandará alguns anos. Nesse tempo, a expectativa é de que o acesso a tablets por profissionais de saúde nesses países deva aumentar consideravelmente”, comenta.

As intervenções durante o parto são um dos desfechos considerados e podem ser feitas de várias formas, mas os pesquisadores do SELMA escolheram algumas delas como o objeto e estudo: a indução, a aumentação (uso de medicamentos para aumentar as contrações ou acelerar o parto), a realização de uma cesárea ou uma combinação entre as técnicas.

Sobre os primeiros resultados, Gleici ressalta que provavelmente vão sair no segundo semestre deste ano. “Estamos em fase de coleta de dados, com a perspectiva de terminar no mês de julho. Após a coleta de dados, vem a fase de limpeza da base e a construção dos modelos, seguida pela disponibilização para os profissionais da saúde”, relata.

Dados da Organização Mundial da Saúde divulgados em 2014 apontam que, a cada dia, cerca de 800 mulheres morrem de causas relacionadas à gravidez e ao trabalho de parto. O levantamento aponta, ainda, que 99% dos óbitos maternos ocorrem em países em desenvolvimento e que o índice é maior entre as mulheres que vivem em comunidades rurais e em lugares mais pobres. Além disso, a OMS ainda descobriu que adolescentes correm mais riscos de complicações na gravidez e no parto do que mulheres mais velhas.

Gleici ressalta que o plano é levar o SELMA outros países. “Todos esses modelos que serão desenvolvidos serão implementados como ferramentas tecnológicas. A ideia é que a gente tenha um aplicativo que possa apoiar esses profissionais da saúde de forma sistemática, que não seja só no papel, como é feito atualmente”. A pesquisadora do CeMEAI também faz questão de reforçar a importância da parceria entre profissionais de distintas áreas. “É necessário existir uma grande interação entre a equipe de estatísticos e a dos profissionais da saúde, porque, para o desenvolvimento dessa ferramenta, o entendimento do sistema é complexo. Isso é, para mim, muito motivador – poder trabalhar na minha área de especialidade, contribuindo com um projeto que, utilizando conceitos matemáticos e estatísticos, permite a tomada de decisões sistematizadas, de forma a minimizar um desfecho ruim que é a mortalidade do neonatal e materna”, conclui.

SELMA no Workshop de Modelagem de Risco

No dia 13/03/15 foi feita uma apresentação da pesquisadora Gleici da Silva Castro Perdoná sobre o projeto SELMA no 2° Workshop de Modelagem de Risco realizado na USP em São Carlos:

[slides] [resumo]

Sobre o CeMEAI

O Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), com sede no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) financiados pela FAPESP. O CeMEAI é especialmente adaptado e estruturado para promover o uso de ciências matemáticas (em particular matemática aplicada, estatística e ciência da computação) como um recurso industrial.

As atividades do Centro são realizadas dentro de um ambiente interdisciplinar, enfatizando-se a transferência de tecnologia e a educação e difusão do conhecimento para as aplicações industriais e governamentais. As atividades são desenvolvidas nas áreas de Otimização Aplicada e Pesquisa Operacional, Mecânica de Fluidos Computacional, Modelagem de Risco, Inteligência Computacional e Engenharia de Software. 

Além do ICMC, o CEPID-CeMEAI conta com outras cinco instituições associadas: o Centro de Ciências Exatas e Tecnologia da Universidade Federal de São Carlos (CCET-UFSCar); o Instituto de Matemática Estatística e Computação Científica da Universidade Estadual de Campinas (IMECC-UNICAMP); o Instituto de Biociências Letras e Ciências Exatas da Universidade Estadual Paulista (IBILCE-UNESP); a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Estadual Paulista (FCT-UNESP); o Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE); e o Instituto de Matemática e Estatística da Universidade de São Paulo (IME-USP).

Texto: Carla Monte Rey - Assessoria CEPID-CeMEAI

Leonardo Zacarin – Assessoria CEPID-CeMEAI

Fotos cedidas: Livia Ciabati - Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (USP)

Mais informações

Assessoria de Comunicação do CeMEAI: (16) 3373-6609

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.