ptzh-CNenfrdeitjarues

Comunicação CeMEAI

Comunicação CeMEAI

Estatísticos projetam: Brasil é o país com mais chances de vencer a Copa do Mundo

Grupo de pesquisadores simulou 1 milhão de possíveis resultados

 

Previsão Esportiva Copa 2022 Página 01

 

Das diversas nuances que o futebol proporciona, o palpite dos resultados dos jogos é uma das coisas que mais divertem e geram boas histórias para os torcedores. Entretanto, para um grupo de estatísticos formado por membros de diferentes universidades, esse jogo é um pouco mais sério e tem na matemática o seu maior aliado.

Desde a Copa do Mundo de 2006, eles desenvolvem modelos estatísticos de previsão dos resultados de eventos esportivos. Utilizando ciência de dados, os cientistas criaram o Previsão Esportiva, projeto em conjunto entre diversas instituições da América Latina que simula milhões de cenários e entrega as probabilidades de título em cada competição.

Os estudos utilizam diversas informações sobre as seleções para alimentar a Inteligência Artificial. Os dados objetivos são compostos pelos números dos rankings FIFA e ELO, valor de mercado de cada seleção, poder ofensivo, poder defensivo, histórico e afins. Tais indicadores representam o histórico de cada seleção, com peso maior na atuação recente. Além disso, há a parte subjetiva, que é a inserção da análise de especialistas. A partir desse conglomerado, é feita a formulação matemática e o embasamento estatístico apropriado para quantificar as incertezas sobre os resultados das partidas de futebol.

Previsão Esportiva Copa 2022 Página 04

Para esta edição do Mundial, o projeto passou por alguns incrementos com relação ao que foi feito nos anos anteriores. O professor do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP em São Carlos e um dos coordenadores do Centro de Pesquisa, Inovação e Difusão de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CEPID-CeMEAI), Francisco Louzada, explica o que foi adicionado.

“Este ano trazemos mais detalhes às nossas simulações, como as probabilidades etapa a etapa, a quantidade de gols esperados dos possíveis artilheiros, além da entrega interativa dos resultados. O usuário pode trabalhar com os painéis de controle que preparamos e verificar as probabilidades e seleções favoritas em qualquer possível confronto entre as nações na Copa. Nesta edição, também ampliamos a equipe, em que temos profissionais de universidades de toda a América Latina e uma parceria inédita com a empresa de educação em dados FLAI. Essas ampliações permitiram uma maior pluralidade nas atividades desenvolvidas, implementação de novas funcionalidades e uma expansão em nossos canais de divulgação", detalha.

Previsão Esportiva Copa 2022 Página 12

Neste ano, o Previsão Esportiva realizou um milhão de simulações para a Copa do Mundo do Catar. Deste montante, em 153.178 vezes o Brasil foi o grande campeão do torneio futebolístico mais importante do planeta, totalizando uma frequência de 15,3178%. Logo atrás, ficou a seleção argentina, com 12%; em terceiro lugar, a Bélgica, com 9%. A atual campeã do mundo, França, ficou em quarto, com 8%. Apesar do favoritismo, o caminho brasileiro não será nada fácil, uma vez que, quando somadas, a porcentagem para outras seleções serem campeãs é de 84,7%. Ou seja: o protagonismo existe nos números, mas passa longe de ser absoluto.

Entretanto, o modelo vai muito além de fornecer o resultado final. Através das informações, ele gera uma previsão dos resultados de todas as etapas. Sendo assim, consegue indicar as chances de cada seleção passar da primeira fase e ir avançando, etapa por etapa, até a final. Quando os jogos começam, as contas são atualizadas a cada rodada, levando em conta os placares definidos e outras situações relevantes, como um jogador importante que se machucou, por exemplo.

“A contextualização com base nos resultados que já ocorreram altera significativamente os resultados esperados em cada rodada. As partidas das primeiras rodadas já estão definindo a cara das oitavas de final da Copa. Algumas das variáveis ​​utilizadas também podem mudar durante a competição, o que também significa ajustes nas previsões. Este ano atualizaremos os números ao final de cada rodada da primeira fase e de cada rodada da segunda fase”, explica Paulo Henrique Ferreira, que também é pesquisador do CEPID-CeMEAI. 

Números do Brasil

De acordo com o levantamento, o Brasil, que está no Grupo G ao lado de Sérvia, Suíça e Camarões, é o grande favorito da chave. A previsão estima que a seleção de Tite possui 63% de chance de passar em primeiro lugar, com a Suíça sendo a segunda favorita, com 37% de chance de passar na segunda posição. A Sérvia, adversária do Brasil na estreia, possui 38% de chance de terminar em terceiro lugar, enquanto Camarões tem 71% de ser o lanterna do chaveamento.

Previsão Esportiva Copa 2022 Página 08

Em todos os jogos desta primeira fase, a Canarinha possui mais de 55% de chance de vencer. A IA afirma que há 59,9% de chance de vencer a Sérvia; 55,8% de vencer a Suíça; e 77,7% de derrotar a seleção camaronesa. Para o primeiro embate, a maior probabilidade de placar (14,14%) é de uma vitória brasileira por 1 a 0 frente aos sérvios.

Um número que chama atenção é a probabilidade de eliminação da seleção nacional nas oitavas de final. Dentre todas as possibilidades de derrota no mata-mata, é nas oitavas onde o Brasil possui maior índice: 28,3%. O professor Francisco, no entanto, explica que o número não é tão espantoso assim.

“Num primeiro olhar, o número pode parecer intimidador, mas é natural e esperado para uma equipe de alto padrão como o Brasil. Nós temos uma probabilidade muito alta de chegar nas oitavas e, quando se inicia o mata-mata, a dificuldade da competição muda. Por mais que uma seleção possa ser superior a outra, os jogos das oitavas em geral são difíceis e as probabilidades estimadas dificilmente passam dos 60%/40%. Veja que, apesar de estimarmos o Brasil cair nas oitavas com frequência 28,3%, estimamos também que o Brasil avance até as quartas de final em 59,6% das vezes. Ainda mais, dado que o Brasil chega nas oitavas, avança para as quartas 66,8% das vezes, segundo nossas estimativas”, afirmou Ricardo Rocha, da FLAI.

Todavia, é importante salientar que mesmo sendo este o caminho com as maiores probabilidades dentre todos os cenários possíveis, a estatística não é absoluta. O futebol, dentro de todas as suas incertezas, passa longe de ser uma ciência exata, e é justamente a partir das surpresas e momentos inesperados que o esporte e a Copa do Mundo são feitos. A Inteligência indica os cenários mais prováveis, mas eles não são completamente garantidos. Exemplo disso é que a seleção brasileira possui 38,2% de chegar até as semifinais e 24,2% de alcançar a grande final. São bons números, mas que quando vistos sob a óptica inversa - o Brasil não chegar nas semis, por exemplo, representa 61,8% das probabilidades -, eles são ainda maiores.

Para conferir todos os principais prognósticos realizados pelo levantamento, confira alguns dados apresentados abaixo. Nele, você poderá conferir os índices estatísticos do Brasil rumo ao hexo, as tendências do mata-mata e também qual jogador possui mais chance de se tornar o artilheiro da Copa. O detalhamento dos números e de todas as probabilidades estão no site do Previsão Esportiva.

Além de Francisco Louzada, compõem o projeto Adriano Suzuki do ICMC-USP; Anderson Ara, pesquisador da Universidade Federal do Paraná (UFPR); Anderson Fonseca, Gustavo Peixoto e Luciano Santana, estudantes da Universidade Federal da Bahia (UFBA); Diego Nascimento, da Universidad de Atacama, no Chile; Gean Carlos e Marcos Kunyosi, alunos do FLAI, centro de Inteligência Artificial e Data Science de Salvador, na Bahia; Luis Ernesto Salazar, pesquisador da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) e do ICMC-USP; além do pesquisador do Instituto de Matemática e Estatística (IME) da UFBA e membro do CeMEAI, Paulo Henrique Silva, e o também pesquisador do IME-UFBA e da FLAI, Ricardo Rocha.

 

Sobre o CeMEAI

O Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), com sede no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) financiados pela FAPESP.

O CeMEAI é estruturado para promover o uso de ciências matemáticas como um recurso industrial em quatro áreas básicas: Otimização Aplicada e Pesquisa Operacional, Mecânica de Fluidos Computacional, Modelagem de Risco, Inteligência Computacional e Engenharia de Software.

Além do ICMC-USP, CCET-UFSCar, IMECC-UNICAMP, IBILCE-UNESP, FCT-UNESP, IAE e IME-USP compõem o CeMEAI como instituições associadas.

 

Assessoria de Comunicação do CeMEAI

 

Mais informações

Assessoria de Comunicação do CeMEAI: (16) 3373-6609

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Modelos computacionais auxiliam na detecção de genes significativos para o câncer

Ferramentas foram desenvolvidas em doutorado do ICMC e Hospital de Barretos

 

Modelos computacionais auxiliam na detecção de genes significativos para o câncer

O câncer é a doença que talvez mais desafie a ciência e a medicina. A luta para compreender os mecanismos de sua iniciação e progressão une diferentes áreas e foi tema de uma tese de doutorado orientada por um pesquisador do CEPID - CeMEAI. Conheça o trabalho:

Publicado por CEPID - CeMEAI em Terça-feira, 8 de novembro de 2022

 

O câncer é a doença que talvez mais desafie a ciência e a medicina. A luta para compreender os mecanismos de sua iniciação e progressão une diferentes áreas e foi tema da tese de doutorado do aluno Jorge Francisco Cutigi, defendida no ICMC/USP-São Carlos. Denominada “Abordagens computacionais para a descoberta de genes significativos para o câncer”, a pesquisa parte do princípio que o câncer é uma doença complexa provocada por alterações genéticas que se acumulam por toda a vida do indivíduo. As alterações são chamadas mutações genéticas divididas em dois grupos, explica Jorge. “ O primeiro, chamamos passenger mutations (mutações que não alteram o comportamento da célula). O segundo, driver mutations (mutações significativas para o câncer), ou seja, que provocam a carcinogênese na célula. Células de câncer possuem um elevado número de mutações, das quais a maioria delas são passenger mutations e um pequeno número delas são driver mutations”.

Segundo o autor, a identificação de genes drivers, aqueles genes com mutações significativas, é essencial para entender o desenvolvimento do câncer e um desafio chave na genômica do do câncer, uma vez que estudos mostram que genes significativos podem sofrer mutação em uma frequência muito baixa. “Com o sequenciamento de nova geração, uma extensa quantidade de conjuntos de dados genômicos foram gerados, criando o desafio de analisar e interpretar esses dados”, afirmou.

O doutorado teve orientação do professor do ICMC e pesquisador do Cepid-CeMEAI Adenilso Simão e foi co-orientado pela bióloga Adriane Feijó. Unir matemática e biologia foi a chave para o sucesso dos resultados pois os dados vieram do Hospital do Câncer de Barretos. “Nós temos um programa de pós-graduação no hospital e então, nós temos várias linhas de pesquisa. Temos um dos maiores biobancos da América Latina, o que permite que a gente consiga fazer a seleção de amostras de interesse. Temos ainda o maior número de sequenciamento de genomas e exomas de câncer do Brasil, é um volume de dados muito grande”, explicou Adriane.

Ainda segundo a bióloga, esses sequenciamentos geram listas de centenas de milhares de genes, gerando também muitas perguntas. Qual é aquele gene que teve uma resposta que permitiu a evolução desse tumor? Como priorizamos aquele gene que realmente teve um efeito, um papel no desenvolvimento desses tumores? Foi aí, que os métodos desenvolvidos ganharam relevância. “A ferramenta cria redes e traz toda comparação com os bancos de dados e informações biológicas de dados da literatura também e nos dá uma lista priorizada bem reduzida de genes mais relevantes que possibilitam investigação e entendimento melhor da história de cada tumor”, explicou.

Adenilso acrescenta que ninguém tem um câncer igual ao de outra pessoa, comenta que cada pessoa tem uma doença específica que combina as mutações e composição genética dela com as mutações que ela adquiriu durante a vida. “Logo, cada doença é uma história única que vai se desenvolver de certa forma e que vai ser combinada a inúmeros fatores. Essa complexidade toda sempre vai existir. Não podemos falar o câncer, porque são vários e isso é o maior desafio da cura que talvez, nunca ocorra. O importante é que com a ciência e nesse caso, a computacional, estamos contribuindo com os avanços para aumentar a quantidade de pessoas que possam receber tratamentos individualizados”, disse.

Este trabalho deu origem ao grupo ACDBio que se dedica ao estudo computacional  de dados biológicos. O grupo é formado por professores do ICMC e do IFSP e conta, também, com alunos de doutorado e iniciação científica. Os principais temas de estudo são relativos a dados de câncer, mas o grupo tem se dedicado, também, à pesquisa de outras doenças, como a Covid-19 e a Dengue. Atualmente, Jorge é professor do IFSP, campus São Carlos-que apoia a pesquisa, assim como a Fapesp, via CEPID-CeMEAI e CNPq.  Os resultados já foram compartilhados com a comunidade científica por meio de importantes publicações internacionais como a Nature (Scientific Reports) e ganhou também o reconhecimento de premiações no Brasil por desafiar uma doença de alta complexidade e auxiliar a entender os seus mecanismos.

 

Sobre o CeMEAI

O Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), com sede no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) financiados pela FAPESP.

O CeMEAI é estruturado para promover o uso de ciências matemáticas como um recurso industrial em três áreas básicas: Ciência de Dados, Mecânica de Fluidos Computacional e Otimização e Pesquisa Operacional.

Além do ICMC-USP, CCET-UFSCar / IMECC-UNICAMP / IBILCE-UNESP / FCT-UNESP / IAE e IME-USP compõem o CeMEAI como instituições associadas.

 

Raquel Vieira - Comunicação CeMEAI

 

Mais informações

Assessoria de Comunicação do CeMEAI: (16) 3373-6609

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Íntegra - Seminário de Coisas Legais: Universalidade

 

O que bêbados caminhando têm a ver com valores de ações na bolsa, com manchas de café num papel ou ainda com o avanço de queimadas?

O Seminário de Coisas Legais convidou o pesquisador Guilherme Silva, do ICMC/USP, para explicar essa história.

Confira a íntegra da apresentação!

 

Ciência na Praça: grupo de pesquisa sobre barragens promoveu ações com a comunidade

O CeMEAI apoiou o evento com ações interativas permeadas por conhecimento científico

 

O professor José Mario Martínez Perez, do IMECC/Unicamp e vice-diretor do Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI) foi um dos organizadores do Ciência na Praça, evento promovido pelo Grupo de Pesquisa e Ação em Conflitos, Riscos e Impactos Associados a Barragens (CRIAB), da Unicamp, com a intenção de demonstrar para a população o trabalho que vem sendo desenvolvido nessa área.

As atividades aconteceram na Praça do Coco em Barão Geraldo, Campinas-SP e contou com o apoio do Cepid-CeMEAI.

Veja como foi!

 

O professor José Mario Martínez Perez, do Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica e vice-diretor do CEPID - CeMEAI, foi um dos organizadores do Ciência na Praça, evento promovido pelo Grupo de Pesquisa e Ação em Conflitos, Riscos e Impactos Associados a Barragens (CRIAB), da Unicamp, com a intenção de demonstrar para a população o trabalho que vem sendo desenvolvido nessa área. As atividades aconteceram na Praça do Coco em Barão Geraldo, Campinas (SP), e contou com o apoio do CeMEAI. Veja como foi!

Publicado por CEPID - CeMEAI em Segunda-feira, 31 de outubro de 2022

Pesquisadores do CeMEAI participam de mesa redonda na XXXIV SEMAT

Debate foi sobre a evolução da matemática em função da tecnologia

 

semat 2022

 

O Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas (IBILCE) da Universidade Estadual Paulista (Unesp), em São José do Rio Preto, está realizando nesta semana a XXXIV Semana da Matemática (SEMAT). A programação, que foi iniciada na segunda-feira (24), estende-se até a quinta-feira (27) e, dentre os atrativos, a mesa redonda “A matemática do Século XXI”, realizada no primeiro dia de evento, contou com a presença de pesquisadores do Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CEPID-CeMEAI).

Os professores Geraldo Nunes Silva (IBILCE/Unesp) e Luis Gustavo Nonato (ICMC/USP), membros do CeMEAI, se juntaram ao docente Alistair Richard Clark, da University of the West of England Bristol (UWE), para debater a seguinte pergunta: "A matemática no Século XXI continua a mesma de séculos passados?".

Sob este mote, os participantes buscaram simplificar a questão e discutiram sobre a evolução da matemática ao longo do tempo, principalmente nos últimos 100 anos, em função da tecnologia, e também como ela influencia o desenvolvimento da tecnologia e da sociedade em geral. Geraldo foi o mediador da mesa, enquanto Luis Gustavo e Alistair participaram como convidados do debate.

Os participantes conversaram sobre o que a matemática, ou matemáticos, oferecem para disciplinas ou pesquisadores de áreas afins, como engenharia ou ciência de computação, refletiram se a matemática é real ou uma construção humana, e ainda falaram sobre como a tecnologia pode ajudar no ensino da matemática, no desenvolvimento da intuição do aluno e também a estimular novas descobertas na pesquisa.

Por fim, foi fomentada a discussão sobre os desafios matemáticos que técnicas de deep learning têm trazido e como isso tem provocado novos desenvolvimentos teóricos.

 

Sobre a SEMAT

Realizada desde 1988, a SEMAT é um evento que reúne professores, alunos de graduação e pós-graduação e professores de educação básica. Realizada em formato presencial, a iniciativa conta com atividades nas diversas áreas de pesquisa. Além da mesa redonda, estão sendo ofertadas palestras e minicursos ministrados por especialistas das diferentes áreas da matemática pura e aplicada - algumas com conteúdo mais geral e acessível para alunos de graduação e outras de caráter mais avançado voltado aos alunos de pós-graduação.

A SEMAT também conta exposição de trabalhos acadêmicos, e a programação recheada tem o intuito de promover a troca de experiências e conhecimentos entre professores e pesquisadores da matemática e áreas afins de diversas instituições, possibilitando a formação de grupos de trabalho e de pesquisa. O evento também visa aprimorar a formação dos alunos de pós-graduação e graduação por meio de palestras e minicursos e dar a oportunidade aos alunos de iniciação científica ou pós-graduandos para divulgar seus trabalhos através de pôsteres.

Os alunos de licenciatura e professores da educação básica de ensino, por sua vez, também têm a oportunidade de conhecer novas metodologias de ensino para aplicação em sala de aula através de minicursos e palestras destinados a este fim.

 

Sobre o CeMEAI

O Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), com sede no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) financiados pela FAPESP.

O CeMEAI é estruturado para promover o uso de ciências matemáticas como um recurso industrial em três áreas básicas: Ciência de Dados, Mecânica de Fluidos Computacional e Otimização e Pesquisa Operacional.

Além do ICMC-USP, CCET-UFSCar / IMECC-UNICAMP / IBILCE-UNESP / FCT-UNESP / IAE e IME-USP compõem o CeMEAI como instituições associadas.

 

Assessoria de Comunicação - CeMEAI

 

Mais informações

Assessoria de Comunicação do CeMEAI

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Telefone: (19) 99199-8981

Fato ou Fake? Descobrir se uma notícia é real também é papel da matemática

Plataforma desenvolvida com apoio do CeMEAI auxilia na checagem de informações

 

celular fake news

 

O alastramento de notícias falsas é um fenômeno que não para de crescer e ganha ainda mais ênfase em tempos de campanhas eleitorais. Acreditar na veracidade de uma informação não tem sido das tarefas mais fáceis, nem no Brasil e nem no mundo. As chamadas fake news são nocivas em vários aspectos porque carregam com elas desinformação, manipulação de opinião, entre outras consequências negativas para a sociedade.

O tema é um desafio também para o meio acadêmico e não diferente para cientistas de dados que encontram na matemática, ferramentas de apoio para auxiliar a população na checagem das notícias. Com o apoio do Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), foi desenvolvida uma plataforma de auxílio na detecção de notícias falsas por meio de uma combinação de modelos estatísticos e técnicas de aprendizado de máquina.

O trabalho é coordenado por Francisco Louzada Neto, coordenador de Transferência Tecnológica do CeMEAI e teve início quando alunos do Mestrado Profissional em Matemática, Estatística e Computação Aplicadas à Indústria (Mecai) - um dos cursos de pós-graduação profissional do Instituto de Ciências Matemáticas e Computação (ICMC), da USP, em São Carlos- resolveram se dedicar ao tema.

Marcos Jardel Henriques é doutorando em Estatística e um dos idealizadores do projeto. “A plataforma foi desenvolvida justamente nesse contexto em que estamos vivenciando onde a população é bombardeada por informações em todos os meios de comunicação. Tivemos a ideia de montar uma plataforma para quando as pessoas tivessem dúvida sobre a veracidade de alguma notícia, copiassem uma parte ou a informação toda para verificar”, explica Jardel.

Segundo ele, foram coletadas mais de 100 mil notícias em textos para treinar modelos estatísticos com o tipo de semântica e, principalmente, o tipo de vocabulário usado ao longo dos últimos anos. “Essas mesmas notícias foram testadas em outros bancos de dados preparados por outros grupos de pesquisas que trabalham com o processamento de linguagem natural”, explica.

“Recomendamos que a ao consultar, a pessoa use o máximo de informações para serem analisadas porque a plataforma conseguirá compreender melhor o contexto, com resultados de até 96% de precisão”.

Nesta semana, o coordenador desse projeto, Francisco Louzada Neto, participa da 39ª Semana de Estatística, realizada em Manaus, e sua palestra, tem como tema a plataforma. “Precisamos sempre atualizar e dar mais subsídios para os modelos usados pela plataforma, de modo a melhorar a acurácia e aumentar a capacidade de predição de fake news”, avaliou Louzada.

 

francisco louzada

 

Notícias falsas que circularam na pandemia e agora, nas eleições estão sendo utilizadas para calibrar os modelos. “O combate às fake news é uma corrida de gato e rato porque, ao mesmo tempo que tem surgido plataformas como a que desenvolvemos para detectá-las, os métodos para produzir essas notícias falsas também têm sido aprimorados”, disse.

Para consultar se alguma informação é verdadeira ou não, basta acessar fakenewsbr.com, copiar e colar a informação que se quer avaliar e verificar.

 

 

Sobre o CeMEAI

O Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), com sede no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) financiados pela FAPESP.

O CeMEAI é estruturado para promover o uso de ciências matemáticas como um recurso industrial em três áreas básicas: Ciência de Dados, Mecânica de Fluidos Computacional e Otimização e Pesquisa Operacional.

Além do ICMC-USP, CCET-UFSCar / IMECC-UNICAMP / IBILCE-UNESP / FCT-UNESP / IAE e IME-USP compõem o CeMEAI como instituições associadas.

 

Raquel Vieira - Comunicação CeMEAI

 

Mais informações

Assessoria de Comunicação do CeMEAI

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Telefone: (19) 99199-8981

Vice-diretor do CeMEAI é reconhecido internacionalmente pela ICIAM

A matemática aplicada de José Mario Martínez trouxe prêmio inédito para o Brasil

 

O professor José Mario Martínez Perez, do IMECC/Unicamp e vice-diretor do Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI) foi assim anunciado como vencedor do prêmio Su Buchin do Conselho Internacional de Matemática Industrial e Aplicada (ICIAM): “... é concedido por realizações notáveis em pesquisa - uma combinação de teoria, prática, software e aplicações para resolver problemas de otimização em larga escala - e na promoção do desenvolvimento das comunidades de otimização e matemática aplicada na América Latina”.

Tal reconhecimento é concedido a cada quatro anos a matemáticos com atuação destacada na educação, na pesquisa e na promoção do desenvolvimento de países em desenvolvimento. A cerimônia de entrega ocorrerá em agosto de 2023, em Tóquio, durante o Congresso do ICIAM.

É a primeira vez que um matemático da América Latina é agraciado.

O trabalho de Martínez Perez foi fundamental no crescimento da pesquisa em matemática aplicada na América Latina. Ele orientou mais de 30 alunos de mestrado e mais de 30 doutorados, mantendo conexões ao longo do tempo e promovendo colaborações que fortalecem o desenvolvimento de grupos de pesquisa em cada um desses países. Para justificar a escolha por seu nome, o comitê do ICIAM também escreveu: “... suas contribuições representam avanços notáveis para resolver problemas de otimização em larga escala por meio de algoritmos e software publicados, juntamente com um profundo envolvimento em uma ampla gama de aplicações. ”

Conversamos com o vencedor do prêmio e também repercutimos essa importante conquista para a comunidade científica brasileira com o presidente Pablo Rodriguez, da Sociedade Brasileira de Matemática (SBMAC), entidade que fez a indicação, e com a officer-at-large no ICIAM, a brasileira Liliane Basso Barichello, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Veja o vídeo.

Encontro promove colaborações com lideranças que atuam na área da Indústria

Evento no CeMEAI foi apoiado pelo InovaUSP e contou com CIESP, SENAI, Sebrae e CRob

 

inova usp1

 

O InovaUSP existe essencialmente para agregar e integrar iniciativas dedicadas ao desenvolvimento de pesquisa e inovação. Nesse sentido, promoveu no Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), sediado no ICMC/USP- São Carlos, um encontro com as principais lideranças da indústria de São Carlos. E o primeiro objetivo já foi cumprido, o de debater possíveis colaborações conjuntas onde o conhecimento matemático possa ser aplicado em soluções de desenvolvimento tecnológico e econômico nas empresas representadas pelas instituições SENAI, CIESP e Sebrae.

A convite do coordenador do InovaUSP- Complexo São Carlos, Tito José Bonagamba, apoiado pelo Prof. Raúl Gonzáles Lima, Pró-Reitor Adjunto de Inovação da USP, Francisco Louzada Neto, José Alberto Cuminato e Adenilso Simão (CeMEAI), foram recebidos o diretor do CIESP São Carlos, Marcos Henrique dos Santos, a especialista em tecnologia, Leticia Rodrigues, também responsável operacional pelas ações de Empreendedorismo e Inovação da rede UpLab do SENAI-SP, o diretor do SENAI, Marcio Vieira Marinho e Eduardo Rantin, consultor do Sebrae. Também estavam presentes na reunião Marco Terra, Chefe do Departamento de Engenharia Elétrica e de Computação e membro do Centro de Robótica da USP (CRob), André Ponce de Leon de Carvalho, diretor do ICMC, Gustavo Faria e Fernanda Marreta, gestores do CeMEAI.

inova usp2

“Foi para nós, motivo de muita satisfação receber essas lideranças tão representativas na região e no país. Sabemos que as micro e pequenas empresas que essas instituições representam tem uma importância muito grande no desenvolvimento econômico brasileiro e foi uma ótima oportunidade de estabelecer uma integração entre as diferentes entidades no sentido de oferecer suporte integrado à indústria nacional nos seus mais diversos setores”, afirmou Francisco Louzada Neto, Coordenador de Transferência Tecnológica de CeMEAI.

“A nova gestão da Universidade de São Paulo incluiu a inovação como uma de suas atividades de relevo, com o objetivo de disponibilizar o conhecimento produzido pela comunidade acadêmica à sociedade, promovendo o desenvolvimento socioeconômico sustentável e o bem-estar da população. Deste modo, está estimulando a consolidação de propostas de atuação com caráter interdisciplinar envolvendo acadêmicos das áreas de Ciências Humanas, Biológicas e Exatas, com um olhar para a sociedade. Para alcançar esse objetivo, trabalhamos para atingir, com celeridade, duas metas iniciais: apresentação das propostas que estão sendo construídas à comunidade acadêmica, para que ela esteja corretamente informada e participe efetivamente deste importante movimento, dialogando com todas as unidades do campus USP de São Carlos. O segundo ponto é a aproximação aos setores externos à universidade que atuam com excelência em atividades de promoção da inovação e empreendedorismo que nos auxiliarão a alcançar as propostas que estão sendo apresentadas. Nesta etapa, estamos construindo uma rede de colaborações com SENAI, Sebrae e CIESP, de modo a otimizar nossas relações e compartilhar ações com foco inicial na área de “Transformação Digital”, mas não se limitando a ela, afirmou Tito.

Ainda segundo ele, além dessas três instituições que remetem também à FIESP e à CNI, necessário é destacar a construção de uma parceria importante com o Centro Paula Souza.

“ De forma similar, estamos construindo outras redes de colaboração, dentro e fora da USP, sempre com o objetivo de mostrar que nossa Universidade quer participar do processo de desenvolvimento socioeconômico em todas suas frentes, como previsto no Estatuto da USP – Fins da Universidade: “Estender à sociedade serviços indissociáveis das atividades de ensino e de pesquisa”, completou.

 

Raquel Vieira - Comunicação CeMEAI

 

Mais informações

Assessoria de Comunicação do CeMEAI: (16) 3373-6609

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Íntegra - Seminário de Coisas Legais: Afinal, o que são infinitesimais?

 

A última edição do Seminário de Coisas Legais foi apresentada por L. Arjuna, do ICMC-USP, e falou sobre os infinitesimais. Confira a íntegra da palestra!

 

Pesquisadores do CeMEAI participam do CNMAC 2022

Membros do Centro participaram de diversas atividades da programação

cuminato cnmac

José Alberto Cuminato, Diretor do CeMEAI, recebeu o título de associado honorário da SBMAC

 

Na última semana, pesquisadores do Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CEPID-CeMEAI) participaram do 41º Congresso Nacional de Matemática Aplicada e Computacional (CNMAC 2022). Organizado pela Sociedade Brasileira de Matemática Aplicada e Computacional (SBMAC), o CNMAC é um dos maiores e mais importantes eventos da área no Brasil e na América Latina.

No primeiro dia, o vice-diretor do CeMEAI, José Mario Martínez, participou da mesa de abertura do Congresso, que deu início a todas as atividades que seriam realizadas nos dias subsequentes. Já na quarta-feira (28), foi a vez do pesquisador Silvio Araujo atuar como o conferencista da semiplenária "Aplicações Industriais em Problemas Integrados de Dimensionamento de Lotes e Corte de Estoque", que tratou sobre algumas aplicações industriais que estão sendo trabalhadas e que envolvem o problema integrado de dimensionamento de lotes e corte de estoque.

Já na quinta-feira (29), Fabricio Simeoni de Souza foi o moderador da plenária "Métodos Multiescala: De Equações Elípticas à Quantificação de Incertezas em Simulações de Reservatórios de Petróleo", que contou com Felipe Pereira, da University of Texas at Dallas, como seu conferencista. Ainda no dia 29, Geraldo Nunes Silva atuou como moderador da mesa-redonda "Avanços Recentes em Dinâmica, Controle e Estabilidade", que teve o também pesquisador do CeMEAI Tiago Pereira da Silva como um dos convidados.

fabricio cnmac

Fabrício Simeoni de Sousa

tiago cnmac

Tiago Pereira da Silva

Para o Diretor do Centro, José Alberto Cuminato - que foi agraciado com o título de associado honorário da SBMAC durante o evento -, a participação no Congresso serviu como uma espécie de fórum para a aplicação e exibição da atuação do CeMEAI. Segundo ele, o principal ponto foi mostrar como o trabalho colaborativo entre a academia e a indústria é eficaz e traz resultados bastante proveitosos para ambos os lados. Além disso, Cuminato pontuou que o público presente é justamente o que o Centro pretende atingir.

“Nossa atuação, desde o início, é voltada para popularizar a ideia de colaboração entre a academia e a indústria. A SBMAC, que é quem produz o CNMAC, naturalmente possui uma visão mais acadêmica. Já aqui no CeMEAI nós trazemos uma visão mais voltada para a aplicação dos métodos matemáticos no mundo real. O congresso é caracterizado pela presença de jovens, alunos de graduação e pós-graduação, o que faz do evento uma oportunidade ímpar para o nosso Centro, porque é exatamente para esse público que queremos mostrar que a matemática aplicada é útil na vida prática e convencê-los a entrar nesse mundo em suas carreiras profissionais”, explicou.

No último dia de CNMAC, Geraldo Silva também esteve presente em uma mesa-redonda. Desta vez, participou como convidado da "Sessão COAM: 40 anos da revista Computational & Applied Mathematics da SBMAC".

geraldo cnmac

Geraldo Nunes Silva

Durante a programação do CNMAC, dois pesquisadores também ofereceram minicursos aos participantes. Socorro Rangel ministrou "Introdução à construção de modelos de otimização matemática" e Antonio Castelo Filho foi o responsável por conduzir "Aproximações de Variedades Definidas Implicitamente Utilizando Técnicas de Contagem e Enumeração".

Confira todas as fotos do XLI CNMAC!

 

Sobre o CNMAC

O CNMAC tem como objetivo congregar docentes, pesquisadores e demais profissionais de universidades, centros de pesquisa e empresas das mais diversas áreas da Matemática Aplicada e Computacional. O evento tem como intuito permitir que estes profissionais possam divulgar e discutir resultados recentes das suas pesquisas e trabalhos em andamento. Desta forma, ele tem se tornado um ponto de encontro para tomar ciência da produção científica sobre a área nas principais instituições nacionais.

Neste ano, o congresso, que é realizado anualmente, foi sediado no Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica (IMECC) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Dentre as atividades, o CNMAC promoveu minicursos, minissimpósios, conferências, sessões técnicas de comunicações orais, sessões de painéis gerais e painéis de iniciação científica. Também foram promovidas sessões especiais dedicadas ao ensino, incluindo atividades para professores do ensino básico. Além disso, o evento contemplou também atividades virtuais.

 

Sobre o CeMEAI

O Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), com sede no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) financiados pela FAPESP.

O CeMEAI é estruturado para promover o uso de ciências matemáticas como um recurso industrial em três áreas básicas: Ciência de Dados, Mecânica de Fluidos Computacional e Otimização e Pesquisa Operacional.

Além do ICMC-USP, CCET-UFSCar / IMECC-UNICAMP / IBILCE-UNESP / FCT-UNESP / IAE e IME-USP compõem o CeMEAI como instituições associadas.

 

Assessoria de Comunicação - CeMEAI

 

Mais informações

Assessoria de Comunicação do CeMEAI: (16) 3373-6609

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Página 1 de 112